Venda Nova lidera tráfico de drogas por adolescentes em BH

Por Gabriel Ronan

No fim de junho, a polícia apreendeu uma adolescente de 16 anos no Bairro Mantiqueira, em Venda Nova. Com ela, quase 2 mil pedras de crack, uma espingarda e munições. A família dela está toda no tráfico de drogas.

Mas, o caso da jovem não é isolado. Relatório do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) mostra que a Região lidera os casos de tráfico de drogas por adolescentes com registro no Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA-BH) em 2020.

Foram 295 atos infracionais do tipo no ano passado. Portanto, Venda Nova concentrou 18,83% das 1.567 ocorrências de tráfico de drogas por adolescentes computadas pelo CIA-BH.

Além disso, Venda Nova é a regional de residência de boa parte dos adolescentes sob atendimento da Vara Infracional. Dos 2.680 que responderam por algum ato ilícito, 269 moravam na Região – 10,04% do total.

Em comparação a 2019, o dado caiu de 6.838 para 4.672 – queda de 30%. A queda, segundo a Justiça, se relaciona com a pandemia da COVID-19. Portanto, o isolamento ajudou.

Quanto aos tipos de ato infracional, o mais comum é o tráfico de drogas – 1.567 ocorrências. Na sequência, aparecem o uso de entorpecentes (304), furto (289), roubo (271) e receptação (243).

O relatório mostrou ainda o perfil dos adolescentes em conflito com a lei, que, em sua maioria, é do sexo masculino (87,13%), tem de 16 a 17 anos (74%) e escolaridade da 6ª à 8ª série do ensino fundamental.

Jornal Norte Livre, o jornal de Venda Nova