PBH vai responder à justiça por destruição na Maternidade Leonina Leonor

Por Will Araújo

Em janeiro, o prédio construído para funcionar a Maternidade Leonina Leonor Ribeiro, em Venda Nova, recebeu intervenções por parte da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para transformá-lo em um Centro de Atendimento à Mulher. O equipamento público estava pronto há 11 anos e permanecia fechado.

O que aconteceu?

Conforme Conselho Municipal de Saúde, a transformação da Maternidade em um Centro de Atendimento à Mulher não foi deliberada. Membros da organização ficaram sabendo das intervenções somente após flagrante no dia 28 de janeiro, quando encontraram banheiras e outros equipamentos sendo completamente destruídos.

Sem retorno satisfatório da PBH, o Conselho entrou com uma ação popular e uma ação civil para obrigar respostas sobre os motivos da destruição na Maternidade.

No dia 25 de fevereiro, por meio da Vara da Fazenda Pública Municipal de Belo Horizonte, foi emitido o prazo de 72h para que a PBH explicasse o por quê destruiu os equipamentos da Maternidade Leonina Leonor.

E a justiça?

Nesta quarta (03), questionada pelo jornal Norte Livre sobre o retorno devido, a PBH, por meio de nota da Secretaria Municipal de Saúde, enviou texto que em parte já circulava na imprensa e a indicação de que ainda apresentará os motivos que fundamentaram a decisão.

E a PBH?

Veja a resposta na íntegra no  Jornal Norte Livre, o jornal de  Venda Nova