Crise na saúde atinge  Venda Nova: UPA sofre com excesso de pacientes

Por Gabriel Ronan

A Unidade de Pronto-Atendimento de Venda Nova (Rua Padre Pedro Pinto, 175) também vive o colapso da saúde em Belo Horizonte.

De acordo com fontes ouvidas pelo Jornal Norte Livre, o equipamento já conviveu com a falta de ponto de oxigênio para socorrer pacientes com COVID-19.

"Nós temos a UPA de Venda Nova com a lotação esgotada. Semana passada, nós tivemos casos de pacientes precisando de um ponto de oxigênio, mas todos os pontos da UPA já estavam sendo usados", afirma Carla Anunciatta, presidente do Conselho Municipal de Saúde de BH.

Além disso, outro problema é a falta de espaço para o recebimento de novos leitos. Na UPA Venda Nova, a sala de enfermaria já se tornou área para pacientes graves com COVID-19, os intubados.

"A UPA Venda Nova passou, recentemente, por uma readequação do seu espaço físico, com a finalidade de ampliar o número de leitos disponíveis para pacientes com quadro mais graves, passando de quatro para oito leitos. Quanto à informação de retenção de pacientes que chegam por meio do SAMU, a prefeitura ressalta que essa informação não procede", diz a PBH (veja a íntegra da nota na matéria).

Jornal Norte Livre, o jornal de Venda Nova