Autoridades criam comitê para seguir atos do 7 setembro em Venda Nova

Por Gabriel Ronan

O Governo de Minas Gerais e a Prefeitura de BH criaram um comitê para fazer um monitoramento das manifestações do dia 7 setembro, nesta terça. O grupo se reúne na Cidade Administrativa, na Região de Venda Nova, na capital mineira.

Uma reunião aconteceu na manhã desta terça para discutir estratégias para responder a possíveis ocorrências de destaque durante os atos.

Há duas manifestações principais: o Grito dos Excluídos, na Praça Afonso Arinos (Centro-Sul de BH), contrário a Jair Bolsonaro (sem partido); e um ato a favor do presidente, que partiu do Mineirão em direção à Praça da Liberdade, também no Centro-Sul da capital mineira.

De acordo com o diretor de Operações da Polícia Militar, coronel Flávio Godinho, fazem parte da operação várias instituições. Entre elas, estão os ministérios públicos de Minas Gerais e Federal, as polícias Militar, Federal, Civil e Rodoviária Federal, o Exército, a Prefeitura de BH e o Corpo de Bombeiros.

A preocupação dos órgãos públicos é de uma possível violência nos atos a favor do presidente. Isso porque Bolsonaro inflamou seus apoiadores com pautas até mesmo inconstitucionais, como o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em Venda Nova, não há atos marcados. A manifestação dos bolsonaristas começou pela manhã nos arredores do Mineirão e segue para a Praça da Liberdade. Uma carreata acontece entre os dois pontos.

Jornal Norte Livre, o jornal de Venda Nova