Foto aérea de Venda Nova/BH | Crédito: Norte Livre/Octopus Filmes
Foto aérea de Venda Nova/BH | Crédito: Norte Livre/Octopus Filmes
Publicidade

No aniversário de 310 anos de história de Venda Nova, celebrados no dia 13 de junho de 2021, o Jornal Norte Livre sobrevoou as principais vias, equipamentos públicos e pontos turísticos da regional de Belo Horizonte – uma das comarcas e distritos mais antigos que a própria Minas Gerais.

A nossa primeira viagem acontece sobre a Igreja Santo Antônio de Venda Nova. A paróquia começou com um pequeno santuário no início do século dezoito, na rota dos tropeiros que levavam o gado e comercializavam o charque. Ela foi erguida em homenagem a Santo Antônio de Lisboa.

Mais tarde, na década de 1780, quando o arraial pertencente à Freguesia do Curral Del Rey já tinha ganhado o nome de Venda Nova, os próprios devotos enviaram uma carta à rainha de Portugal (Dona Maria primeira) com o pedido de “pasto espiritual” para os fiéis de Santo Antônio.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Em 1803, parte da Fazenda Antônio Crasto Porto foi doada para o pequeno santuário. Tal fato propiciou, em 1809, a autorização do bispado para a construção da primeira igreja para os devotos de Santo Antônio de Venda Nova.

A Matriz era composta de duas torres, um coreto, um salão, duas entradas laterais, portas e janelas azuis e um adro, onde se enterravam os padres.

A primeira capela persistiu por mais de 100 anos. O pároco Padre Pedro Pinto a destruiu na primeira metade do século XIX.

No relato de uma das afilhadas do padre, o pároco tinha um velho Ford apelidado de furreca. Nele, amarrou várias cordas e derrubou a primeira igreja.

A Matriz foi reconstruída e teve apenas um campanário com três entradas frontais, algumas laterais, e uma casa paroquial. O padre morreu em 1953 e deixou o nome como legado para a principal via da região.

No início do século XX, a Matriz foi novamente destruída com a promessa de uma igreja definitiva. Em junho de 2018, a pedra fundamental do novo templo foi lançada. 

E a história de Venda Nova?

Arraial de Venda Nova, comarca de Sabará, Santa Luzia, distrito de Venda Nova e, atualmente, Regional Venda Nova.

A comunidade construída por viajantes e fiéis era tão grande quanto uma cidade populosa da região metropolitana da capital Belo Horizonte.

As terras de Venda Nova iam do limite com a cidade de Santa Luzia até onde existe, hoje, o aeroporto da Pampulha, contornada pelo Ribeirão Pampulha.

O nome foi dado pelos tropeiros. Sabendo de uma nova venda de secos e molhados inaugurada na região, eles desciam do nordeste da colônia, seguiam pelo Ribeirão do Onça e chegavam ao Córrego do Nado, onde se banhavam próximo à Rua Direita (atual Padre Pedro Pinto com Rua Dr. Álvaro Camargos) e abasteciam os carreteiros na famosa “Venda Nova”.

Casarão guarda história

Vista aérea do Centro de Referência da Memória de Venda Nova – Imagem: Norte Livre/Octopus Filmes

Nas redondezas de onde existia a “Venda Nova”, na Rua Boa Vista, hoje, ainda permanece um Casarão azul e centenário, construído em 1894. Hoje, o espaço guarda o Centro de Referência da Memória de Venda Nova.

A prefeitura da capital de Minas tombou o sobrado como patrimônio histórico do município em 2003.

Mais tarde, em 2007, o Casarão pegou fogo, sendo restaurado e entregue à comunidade pela prefeitura em agosto de 2013.

Equipamentos públicos

UPA Venda Nova vista do alto: um dos equipamentos públicos mais importantes de Venda Nova- Imagem: Norte Livre/Octopus Filmes

Atualmente, Venda Nova conta com uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), uma Maternidade, chamada Leonina Leonor Ribeiro e nunca colocada em funcionamento, e o Hospital Risoleta Tolentino Neves. Todos os equipamentos de saúde estão no entorno ou dentro do bairro de mesmo nome da Regional.

Subindo pela Rua Padre Pedro Pinto, a segunda rua mais extensa de Belo Horizonte, encontramos um movimentado centro comercial e a sede da prefeitura na Regional.

A praça guardiã da sede é chamada Aminthas de Barros. Antigamente, era sentinela da Capela Sagrado Coração de Jesus, de onde os fiéis saíam na Procissão do Encontro até chegarem à Igreja Matriz de Venda Nova.

A Rua Padre Pedro Pinto, antiga Rua Direita, hoje abriga faculdades, shoppings populares, a estação de ônibus de Venda Nova e diversos outros equipamentos.

Na via paralela, chamada Avenida Vilarinho, está o famoso centro poliesportivo e de eventos “Quadras da Vilarinho”, o qual, atualmente, está à venda.

Na via, também está localizado o antigo centro de compras “Shopping Norte”. Mais adiante, encontramos a estação de metrô Vilarinho coberta pelo Shopping Estação BH.

Obras na Vilarinho

Vista aérea das obras na Avenida Vilarinho
Obra em andamento na Avenida Vilarinho promete instalar caixa de captação para evitar enchentes – Imagem: Norte Livre/Octopus Filmes

Antiga demanda da população, as obras da Avenida Vilarinho finalmente saíram do papel e estão em andamento. Porém, a previsão é de conclusão só em 2024.

No encontro dos córregos Nado e Vilarinho, próximo ao metrô, a prefeitura está instalando uma caixa de captação. O objetivo é impedir que a água das chuvas inunde a via.

O volume é de 10 mil metros cúbicos. Já o custo é de R$ 10 milhões.

Campo de Venda Nova

Vista áerea do campo do Venda Nova Futebol Clube
Vista aérea do campo do Venda Nova Futebol Clube – Imagem: Norte Livre/Octopus Filmes

No fim da nossa viagem sobre a história de Venda Nova, sobrevoamos o campo do Venda Nova Futebol Clube, com 91 anos de história e tricampeão da Copa Itatiaia de Futebol Amador.

O time é conhecido como Calango do Cerrado e fez parte das trajetórias de jogadores consagrados, como Euller, Fred e Afonso Alves.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui