Tráfico de drogas é problema entre os adolescentes de Venda Nova, mostra relatório. Foto: André Borges/Agência Brasília.
Tráfico de drogas é problema entre os adolescentes de Venda Nova, mostra relatório. Foto: André Borges/Agência Brasília.
Publicidade

No fim de junho, a polícia apreendeu uma adolescente de 16 anos no Bairro Mantiqueira, em Venda Nova. Com ela, quase 2 mil pedras de crack, uma espingarda e munições. A família dela está toda no tráfico de drogas.

Mas, o caso da jovem não é isolado. Relatório do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) mostra que a Região lidera os casos de tráfico de drogas por adolescentes com registro no Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA-BH) em 2020.

Foram 295 atos infracionais do tipo no ano passado. Portanto, Venda Nova concentrou 18,83% das 1.567 ocorrências de tráfico de drogas por adolescentes computadas pelo CIA-BH.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

As regionais Oeste, Nordeste e Barreiro vêm em seguida (13,72%, 13,53%, e 10,72%, respectivamente). No período, a Pampulha apresenta o menor índice de ocorrências (2,87%).

Para 22 casos não se obteve a informação do local do fato, o que corresponde a 1,40% do total de ocorrências, conforme o documento do TJMG.

Além disso, Venda Nova é a regional de residência de boa parte dos adolescentes sob atendimento da Vara Infracional. Dos 2.680 que responderam por algum ato ilícito, 269 moravam na Região – 10,04% do total.

A liderança entre as regionais de BH, neste quesito, é da Nordeste – 294 adolescentes, portanto 10,97% do total. Porém, a maioria vive em outras cidades da Grande BH – 460 dos 2.680 (17,16%).

Números gerais

A quantidade de atos infracionais por crianças e adolescentes em BH caiu mais de 30% durante a pandemia, em 2020.

Em comparação a 2019, o dado caiu de 6.838 para 4.672 – queda de 30%. A queda, segundo a Justiça, se relaciona com a pandemia da COVID-19. Portanto, o isolamento ajudou.

“Na pandemia, contamos muito com o apoio de pais, mães e avós que se responsabilizaram pelos filhos diretamente em casa, de maneira pedagógica para a mudança de valores pessoais e sociais”, afirmou a juíza Riza Aparecida Nery, coordenadora do CIA-BH.

Quanto aos tipos de ato infracional, o mais comum é o tráfico de drogas – 1.567 ocorrências. Na sequência, aparecem o uso de entorpecentes (304), furto (289), roubo (271) e receptação (243).

O relatório mostrou ainda o perfil dos adolescentes em conflito com a lei, que, em sua maioria, é do sexo masculino (87,13%), tem de 16 a 17 anos (74%) e escolaridade da 6ª à 8ª série do ensino fundamental.

O que é considerado tráfico de drogas?

Tudo depende da quantidade. Se a polícia apreender pouco entorpecente, o infrator pode responder por consumo. Mas, se for uma carga maior, o crime é de tráfico.

Como o tráfico de drogas afeta a sociedade?

Ele influencia em diversos outros crimes, como violência doméstica, homicídios, ameaças, agressões etc. Além disso, os entorpecentes são um problema de saúde diante do vício dos usuários.

Quais são os crimes classificados como hediondos?

São vários, entre eles o homicídio, latrocínio (matar para roubar), extorsão por meio de sequestro, estupro de vulnerável ou não, falsificação de medicamentos etc.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui