Fachada do Mercado de Origem - Fonte: Divulgação/Mercado de Origem
Fachada do Mercado de Origem - Fonte: Divulgação/Mercado de Origem
Publicidade

A Regional Venda Nova e a cidade de Ribeirão das Neves estão próximas de ganhar uma opção geradora de empregos e de produtos rurais com valores mais baratos. Trata-se da implantação de duas das cinco novas unidades do Mercado de Origem, com previsão para o segundo semestre de 2021.

O Mercado de Origem é um projeto do Grupo Uai e da Fundação Doimo para trazer à população da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) produtos da agricultura familiar.

O Mercado de Origem tem estrutura parecida com a de galpões com estandes somados a centros de compras. Nele, o produtor rural poderá vender diretamente ao consumidor final mercadorias que teriam acréscimo de preço em grandes supermercados. Isso pode gerar uma economia de até 50%, segundo gestores.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Serão instaladas cinco unidades a partir de 2021: uma em Venda Nova, uma no Bairro Padre Eustáquio, uma no Bairro Santa Teresa, uma próxima à zona sul de BH e outra na cidade de Ribeirão das Neves.

EM TEMPO (16:50): Conforme apuração com a assessoria de imprensa do empreendimento, a unidade de Venda Nova será implantada no que hoje é conhecido como o Shopping Uai (antigo Shopping O Ponto), situado na Rua Padre Pedro Pinto, 1500. Já a de Ribeirão das Neves estará localizada na Avenida Renato Azeredo, 548, Distrito industrial João de Almeida — em frente à fábrica Augusta Imóveis.

Ao todo, serão investidos pelo Grupo Uai e Fundação Doimo R$ 115 milhões.

Mais empregos

De acordo com os gestores do empreendimento, estão previstos nessas unidades quatro mil pontos de negócio, sendo 400 no Bairro Padre Eustáquio, 500 em Venda Nova, 800 no Bairro Santa Teresa, mil na zona sul de Belo Horizonte e 1.500 na cidade de Ribeirão das Neves.

Elias Tergilene, presidente da Fundação Doimo, indica que “se cada empreendedor contratar uma pessoa, vão ser gerados diretamente quatro mil empregos, e no campo podemos multiplicar este número por 10”.

Elias Tergilene, presidente da Fundação Doimo - Fonte: Divulgação/Mercado de Origem
Elias Tergilene, presidente da Fundação Doimo – Fonte: Divulgação/Mercado de Origem

Artesãos também terão chance no Mercado de Origem

Além dos diversos gêneros alimentícios, estão previstos espaços para venda de artesanatos e setores dedicados à gastronomia, embelezamento e entretenimento de crianças.

Conforme projeto, existirá um setor específico para produtores de cerveja artesanal de Minas Gerais exporem seus produtos. A ideia dos gestores é que o estado tenha atratividade turística, assim como o país Bélgica, o qual é famoso pela cultura cervejeira.

Inclusão social

Os investidores do Grupo Uai e Fundação Doimo adquiriram, também, duas fazendas para agricultura sustentável e promoção da inclusão social.

Uma delas está localizada em Ribeirão das Neves, a 32 quilômetros de Belo Horizonte, e a outra está na cidade de Moeda. Na última, serão disponibilizados espaços para que as comunidades quilombolas remanescentes no entorno da Serra da Moeda plantem e complementem a renda familiar.

A unidade do Mercado de Origem de Ribeirão das Neves terá, entre os demais expositores, a venda de produtos provenientes da agricultura feita pelos presidiários da cidade.

Serviço

O que é o Mercado de Origem?

Um empreendimento no formato de mercados centrais que possibilita ao produtor rural vender suas mercadorias diretamente ao consumidor final, sem intermediários.

Quais as empresas e fundações responsáveis pelo Mercado de Origem?

Fundação Doimo e Grupo Uai

A partir de quando serão implantadas as novas unidades do Mercado de Origem em Belo Horizonte?

A partir de 2021

Saiba mais

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui