Fotos: Heldner Costa / CMBH
Fotos: Heldner Costa / CMBH
Publicidade

Uma semana após a contagem final dos votos das eleições de 2020 (16 de novembro) e os dados estatísticos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) demonstram que Venda Nova, em Belo Horizonte, votou em peso no atual prefeito Alexandre Kalil (PSD). Das 179.839 pessoas que comparecem às zonas eleitorais da região (38ª e 0334ª – essa última com 83,22% das seções presentes na Regional), 107.315, 59,69% dos eleitores, escolheram o atual chefe do executivo municipal para exercer mais quatro anos de mandato.

Enquanto em toda Belo Horizonte o candidato Bruno Engler (PRTB) figurou em segundo lugar, João Vítor Xavier (Cidadania) ocupou a posição de segundo “prefeiturável” mais votado em Venda Nova, com 15.756 (8,76%).

Entre os vereadores ligados a Venda Nova por moradia, influência e/ou atuação de longa data na região, dois tiveram votação considerável na Regional. A vereadora Nely Aquino (Pode), a qual já tinha quatro anos de mandato na Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), apareceu como uma dos sete mais votados na zona 0334ª, com 3.026 escolhas.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Na zona 38ª, o mais votado foi o candidato Roberto da Farmácia (Avante), com 3.805 votos. Contudo, como o partido Avante conseguiu apenas três cadeiras para seus vereadores e existiam pessoas com mais votos que ele, não foi eleito e ficou como suplente para uma eventual substituição.

Esses dois candidatos, somente com os votos de Venda Nova, já poderiam estar eleitos caso os partidos conseguissem cadeiras suficientes. A quantidade de votos que eles receberam na Regional superou a linha de corte para vereança.

Veja abaixo os 10 candidatos a vereador mais votados na Regional Venda Nova:

  1. Nely Aquino (Pode) – 4.004 votos e reeleita
  2. Roberto da Farmácia (Avante) – 3.967 votos e não eleito  (suplente)
  3. Duda Salabert (PDT) – 3.686 votos e eleita
  4. Rogério Alkimim (PMN) – 3.347 votos e eleito
  5. Nikolas Ferreira (PRTB) – 2.925 votos e eleito
  6. Bim da Ambulância (PSD) – 2.555 votos e reeleito
  7. Breno Nolasco da ONG Oportunidade (Avante) – 2.360 votos e não eleito (suplente)
  8. Cláudio do Mundo Novo (PMN) – 2.346 votos e eleito
  9. Jorge Santos (Republicanos) – 2.275 votos e reeleito
  10. Weslley do Moreira Gesso (Pros) – 2.190 votos e não eleito (suplente).
Fonte: TSE
Fonte: TSE

Números eleitorais de Venda Nova em 2020

Ao todo, existem duas zonas eleitorais em Venda Nova (38ª e 0334ª), as quais possuem 509 seções dentro da Regional. Há, aproximadamente, 220 mil pessoas aptas a votarem e 2.561 possuem algum tipo de necessidade especial.

Nas eleições de 2020, 179.839 pessoas compareceram às urnas das duas zonas eleitorais. Dessas, 23.170 (12,88%) anularam ou votaram em branco para prefeito.

Em relação à penúltima eleição, a de 2016, 11.655 menos eleitores de Venda Nova deixaram de votar em 2020.

Cerca de 2.227 mesários, secretários e presidentes de seção trabalharam em Venda Nova nas eleições de 2020. Desses, 313 foram obrigados de última hora a trabalhar para suprir a ausência de voluntários.

Quanto ganha um vereador?

Na capital existem 41 vereadores. Conforme a Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), o nome do salário de um vereador é subsídio e eles recebem R$ 18.402,02 brutos e R$ 13.693,83 líquidos.

O que faz um vereador?

O vereador é um agente político do Poder Legislativo na esfera municipal. A principal função exercida é a de representar os interesses da população diante do poder público. Para isso, ele legisla.

Um vereador pode criar, extinguir e emendar leis e acordo com o interesse público da cidade em que legisla. Além disso, tem o papel de fiscalizar os atos do prefeito.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui