Upa Venda Nova | Foto: Gabriel Ronan/Norte Livre.

Com a esperança à flor da pele, trabalhadores da saúde serão os primeiros da capital na fila da vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan de São Paulo em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), “a vacinação contra Covid-19 vai começar em Belo Horizonte com os profissionais de saúde que atuam em UTIs, nas enfermarias Covid e nos atendimentos de urgência da rede pública e privada”.

Venda Nova tem nesta esteira os profissionais que trabalham na Unidade de Pronto-Atendimento da Regional (UPA Venda Nova), na Rua Padre Pedro Pinto. Na primeira fase da campanha, que começará 24h após o recebimento das vacinas, equipes volantes em UPAs, SAMU e vacinadores dos hospitais vão ministrar as doses.

Nas próximas etapas, a prefeitura usará os “postos de vacinação na rede SUS-BH”, como os 152 centros de saúde espalhados pela cidade.

Caso a campanha estadual realmente cumpra o calendário previsto, a vacina chegaria na Regional Venda Nova já nesta terça-feira (19), já que os imunizantes desembarcaram no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH, por volta das 20h desta segunda (18).

Vacinação em Minas Gerais

No total, Minas Gerais vai receber 561 mil doses da Coronavac. Essa quantidade só não é maior que o recebido pelo estado governador por João Doria (PSDB).

Como será a distribuição dessa quantidade é responsabilidade do governo Romeu Zema (Novo). A ideia do estado é enviar imunizantes a todos os 853 municípios do estado.

O plano nacional prevê vacinação, inicialmente, de três grupos de pessoas: trabalhadores da saúde; população indígena que vive em terras indígenas; e a população institucionalizada (deficientes e idosos).

Em Minas, conforme o Ministério da Saúde, são 38.578 idosos em instituições públicas; 1.160 deficientes nas mesmas casas de apoio; 7.878 índios; e 227.472 servidores da saúde, o que representa 34% da categoria.

Porém, em Belo Horizonte, conforme explicado acima, a prefeitura anunciou que vai priorizar apenas os profissionais de saúde.

As doses serão estocadas na Rede Estadual de Frio, no Bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte. De lá, seguem para as 28 unidades regionais de saúde do estado.

Depois, cada prefeitura precisa se deslocar à unidade a qual pertence para retirar os imunizantes. Esse protocolo é idêntico ao que acontece com outras vacinas que fazem parte das campanhas nacionais.

Responsáveis técnicos vão viajar junto com os transportadores para garantir a segurança das vacinas.

Saiba mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui