Venda Nova tem 33 bairros com testes positivos para a COVID-19, segundo a prefeitura. Foto: reprodução/Pixabay.
Publicidade

Dos 41 bairros de Venda Nova, somente oito não tem casos de COVID-19 confirmados. É o que mostrou o último boletim epidemiológico e assistencial da Prefeitura de Belo Horizonte com atualização do quadro da doença por localidade geográfica na capital mineira.


Você é de Venda Nova?

Siga nossas redes sociais e fique por dentro do que acontece perto de você. Jornal Norte Livre, o Jornal de Venda Nova.


Entre os oito, cinco são vilas: Satélite, Santa Mônica, Piratininga, Jardim Leblon e Canto do Sabiá – espaços geográficos reduzidos com grande concentração de população. Os outros três bairros sem casos são o Conjunto Serra Verde, Nova América e São Damião – esse último localizado no limite com Vespasiano.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Conforme o boletim de quinta, Venda Nova registra 104 mortes da doença. Dessas, 88 já estão georreferenciadas. Elas estão divididas por 22 bairros.

Aquele com mais mortes na Regional é o Mantiqueira, com 11 óbitos. Na sequência, aparecem São João Batista (nove), Piratininga (oito) e Santa Mônica e Lagoa, ambos com sete vidas perdidas.

Quanto aos diagnósticos confirmados, a liderança pertence ao Céu Azul, com 76. No Mantiqueira são 70 e no São João Batista 53.

Para fazer o levantamento, a reportagem considerou uma lista de bairros disponibilizada on-line pelo servidor de carreira da Fiscalização Sanitária da Prefeitura de Belo Horizonte, João Batista de Souza. 

Com isso, é possível calcular que 80,4% dos bairros de Venda Nova já registram casos da doença.

Confira, abaixo, o consolidado de casos em cada bairro com diagnóstico confirmado até aqui:

Homenagem

Para impedir que as vítimas do COVID-19 em Venda Nova sejam transformadas em estatísticas apenas, o Jornal Norte Livre buscará depoimentos de entes queridos dispostos a prestar homenagem às pessoas que perderam. As histórias serão contadas à medida que são colhidas com a esperança de, também, conscientizar a população sobre os riscos da doença.

Pessoas interessadas em relatar a história das vítimas podem fazer contato pelo e-mail: contato@nortelivre.com.br (assunto homenagem). Neste primeiro momento, trazemos a história contada por Edmilson.

Publicidade

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui