Publicidade

Retrospectiva 2020: relembre os fatos que marcaram o ano em Venda Nova

Retrospectiva deste ano é marcada, sobretudo, pela pandemia da COVID-19 e pelas eleições municipais. Obras na Vilarinho também avançam

Retrospectiva 2020 em Venda Nova. Arte/Jornal Norte Livre.

Não foi fácil pra ninguém, não é mesmo? O ano de 2020 está terminando e sua retrospectiva fica marcada, principalmente, pela pandemia da COVID-19, que deve seguir ao menos pelos primeiros meses do próximo ano antes do início da vacinação contra o novo coronavírus. Mas, o que mais foi notícia em Venda Nova durante esses 12 meses?

Com objetivo de fazer tal levantamento, o Jornal Norte Livre revistou a lista de matérias publicadas durante o ano. Chuvas, eleições municipais, cultura, projetos ligados a escolas da região e muitos reflexos ligados à pandemia também são capítulos de 2020.

Acompanhe, abaixo, a retrospectiva deste ano mês a mês, de janeiro até dezembro.

1 Janeiro

Educação – Foto: Will Araújo/Jornal Norte Livre

O maior destaque no noticiário do mês de janeiro em Minas Gerais foram as chuvas que arrasaram diversas cidades espalhadas pelo estado. Em Venda Nova, o 49º Batalhão da Polícia Militar, localizado no Bairro São João Batista, arrecadou doações para ajudar as famílias arrasadas pelas tempestades. No total, 62 pessoas morreram em Minas vítimas das enchentes.

Ainda naquele mês, o Norte Livre publicou um especial sobre as escolas públicas da Regional. O jornal cruzou dados de diversos indicadores para traçar o prognóstico da educação em Venda Nova. Clique aqui para acessar e confira quais as médias de cada instituição da regional e quais os fatores que influenciam nesses números.

Neste mesmo mês, o Caso Backer explode em BH: pessoas que consumiram cervejas da marca enfrentam casos de síndrome nefroneural. Meses depois, a polícia conclui que havia dietilenoglicol, substância tóxica, dentro de garrafas da bebida. A tragédia também respinga em Venda Nova: a prefeitura abriu um ponto de coleta de itens do rótulo Belorizontina, justamente o mais contaminado.

2 Fevereiro

Eduarda Calazans e Daniely de Almeida saíram de casa debaixo de chuva para tentar matrícula para a adolescente. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.

Caos na matrícula de estudantes na rede estadual: pais enfrentam longas filas para garantir que seus filhos possam estudar perto de casa, depois que o sistema de inscrição digital do governo Romeu Zema (Novo) envia os alunos para bairros longevos. “Você vê seus sonhos indo por água abaixo”, disse a estudante Eduarda Calazans à reportagem. A plataforma do governo mandou a moradora do Bairro Piratininga estudar à noite no Bairro Maria Helena, longe de sua casa.

Com exclusividade, o Norte Livre detalha as dezenas de lotes que serão desapropriados às margens da Avenida Vilarinho por causa das obras contra as enchentes. A medida abrange imóveis localizados nos bairros Mantiqueira, Flamengo, Piratininga, Santa Mônica, Candelária e São João Batista.

A Acadêmicos de Venda Nova fatura o vice-campeonato do carnaval de Belo Horizonte com um enredo dedicado ao empresário Fabiano Cazeca, que posteriormente seria candidato à prefeitura. O prêmio foi de R$ 40 mil.

3 Março

Toninho Lara, o comerciante de Venda Nova que foi à Segunda Guerra, ao centro de camisa branca com mangas longas – Fonte: Henrique Willer/CCVN e antes Dona Lúcia César

O coronavírus chega em Venda Nova. O vírus que já havia vitimado milhares pelo mundo, principalmente na Ásia, infecta o primeiro morador da Regional. Ainda em março, a prefeitura instala o Centro de Doenças Respiratórias/Covid-19 na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Rua Padre Pedro Pinto.

Iconografia do Norte Livre conta a história do comerciante Antônio Monteiro Filho Lara, integrante da Segunda Guerra Mundial. Conhecido como Toninho, ele participou do confronto em 1944 como integrante da Força Expedicionária Brasileira (Feb).

Além disso, a tatuagem amadora da moradora de Venda Nova, Clerinda Fonseca, viraliza nas redes sociais. Sentada no banco de um ônibus, a mulher teve o escudo do Atlético, eternizado em suas costas de maneira rudimentar, fotografado. Resultado: o tatuador Thiago Scap se sensibilizou e premiou a mulher com um novo desenho, desta vez feito de maneira profissional.

4 Abril

Cestas básicas foram entregues pela prefeitura em duas etapas. Foto: divulgação/PBH.

A retrospectiva continua pautada nos reflexos da pandemia da COVID-19. No mês de abril, a Prefeitura de BH iniciou a distribuição das cestas básicas para a população em vulnerabilidade social. A matéria publicada em nosso site foi a mais lida durante o ano: um sinal de que o serviço do poder público caiu como uma luva para quem corria para abastecer a dispensa em um momento de crise econômica.

Na segunda quinzena daquele mês, Alexandre Kalil publicou um novo decreto e obrigou o uso de máscara em BH. Além disso, a entrada no comércio passou a ser limitada a 13 metros quadrados por cliente. A cidade também restringiu a gratuidade no transporte público para evitar o acúmulo de pessoas no horário de pico.

Porém, um fato serviu como prólogo do que estava por vir: Venda Nova registrou a primeira morte causada pelo novo coronavírus. O Executivo municipal não detalha o perfil das vítimas, mas o boletim trazia duas novas vidas perdidas pela doença na cidade: uma de um homem de 89 anos e outra de uma mulher de 52.

5 Maio

Associação Atlética Bahia – Foto: Will Araújo/Jornal Norte Livre

Uma dura realidade, mas piorada com a crise econômica. Os clubes e escolinhas de futebol de Venda Nova relatam dificuldades para se manterem durante a pandemia. “Está tudo prejudicado. A gente trabalha por conta própria, praticamente não temos renda”, disse à reportagem o presidente da Associação Atlética Bahia, situada no Bairro Serra Verde, José Maria Alves.

Como contraponto, uma loja de Venda Nova, localizada na Rua Padre Pedro Pinto, conseguiu uma liminar na Justiça para poder abrir, ainda que a prefeitura não permitisse. Ao mesmo tempo, a PBH instalou duas barreiras sanitárias na Regional, nas avenidas Denise Cristina da Rocha e na Dom Pedro I.

Ao mesmo tempo, mais uma vez a população de Venda Nova reclamou do descarte irregular de lixo às margens das nascentes do Córrego Capão, um dos principais da Regional. “Muito lixo. Um bota-fora imenso. Moradores próximos também aumentaram a cerca para dentro da área do parque”, denunciou a coordenadora do Núcleo Capão, Roseli Correia.

6 Junho

Imagem meramente ilustrativa. Foto: Adão Souza/PBH.

Mortes por COVID-19 disparam em Venda Nova, e Região caminha para ser o epicentro da doença em Belo Horizonte. Entre os boletins epidemiológicos divulgados nos dias 18 e 25 de junho, por exemplo, os óbitos por COVID-19 saltaram de cinco para 14.

Ao mesmo tempo, a família de Ivanda R. da Silva, 55 anos, moradora do Bairro Minas Caixa, precisou ir à Justiça para retirar a mulher da UPA Venda Nova. O caso grave de COVID-19 enfrentado por ela evoluiu para óbito dias depois. A briga era para que a mulher tivesse tratamento adequado em um hospital de referência.

Também em julho, a retrospectiva do Jornal Norte Livre lembra da marca histórica alcançada pela Polícia Militar em Venda Nova. No dia 2 de junho, o 49º Batalhão registrou a maior taxa de redução de roubos desde a própria criação: -52,29% ocorrências do tipo entre janeiro e maio em comparação ao ano anterior.

7 Julho

Buraco aberto pela empresa responsável pela obra leva transtorno a moradores – Foto: Bruno Henrique dos Santos

Moradores dos bairros Santa Mônica e São João Batista reclamam dos transtornos causados pelas obras nos córregos Lareira e Marimbondo, iniciadas em 2019. Rachaduras, buracos, muita poeira e até bueiro tampado com cimento estavam entre as queixas dos vendanovenses.

Depois da ascensão em junho, Venda Nova passa a ser a Região mais afetada pelo novo coronavírus em BH. O local bate a marca de 50 mortes por COVID-19. No total, 38 vidas foram perdidas em 30 dias, uma média de 1,26 morte a cada 24 horas na Regional no período.

Professores da rede municipal de Belo Horizonte denunciam um corte salarial feito pela prefeitura em meio à pandemia da COVID-19. Toda a questão gira em torno da chamada “dobra”, a extensão salarial recebida por alguns docentes que substituem colegas por diferentes motivos, como aqueles em licenças-maternidade ou com cargos de direção nas escolas.

8 Agosto

Imagem mostra início dos trabalhos na Vilarinho, quando operários retiravam ligações telefônicas da via, em março. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.

Prefeitura de BH inicia implementação do “piscinão” no encontro da Avenida Vilarinho com a Rua Maçon Ribeiro, na rotatória em frente ao Habib’s, em Venda Nova. O ponto de maior alagamento da Regional, em razão do encontro dos córregos do Nado e Vilarinho, pode ter o problema solucionado com a estrutura.

A retrospectiva também lembra que foi em julho que Venda Nova ultrapassou a marca de 100 mortes pela COVID-19. O jornal marcou a data com uma homenagem a uma das vítimas da doença, Ivanda R. da Silva, 55 anos. Ao mesmo tempo, filas enormes são registradas no Shopping Estação na reabertura do comércio.

Levantamento exclusivo mostra os mais de 40 pré-candidatos a vereador que moravam ou tinham alguma relação com Venda Nova. Ao mesmo tempo, Norte Livre inicia série de entrevistas ao vivo com os personagens do pleito por meio do Facebook.

9 Setembro

Imóveis estão localizados na Rua Ana Joséfina, na Vila Nossa Senhora Aparecida. Chuvas causam preocupação nos moradores pelo risco de tragédias. Foto: Gabriel Ronan.

Moradores da Vila Nossa Senhora Aparecida, em Venda Nova, convivem com o risco de deslizamento de um barranco na Rua Ana Joséfina. Eles temem a chegada do período chuvoso e a ocorrência de uma nova tragédia na Regional. Na mesma toada, na Vila do Índio, cidadãos se arriscam ao atravessar esgoto a céu aberto, já que a prefeitura não instalou pontes no aglomerado.

PBH anuncia convênio de R$ 200 milhões com a Caixa para obras na Avenida Vilarinho, em Venda Nova. O dinheiro será destinado, principalmente, à construção dos dois piscinões – um na Avenida Vilarinho e outro na Rua Doutor Álvaro Camargos, a antiga 12 de Outubro.

Em Venda Nova, apenas oito bairros concentram 61,4% dos diagnósticos da COVID-19: Céu Azul, Mantiqueira, Santa Mônica, Piratininga, São João Batista, Copacabana e Jardim dos Comerciários.

10 Outubro

Incêndio no Parque Estadual Serra Verde pôde ser visto da Vila Clóris. Crédito: imagem gentilmente cedida por Lucas Negrisoli.

No mês de outubro, iniciam as solturas dos mosquitos Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia em Venda Nova, no Bairro Jardim Leblon. Insetos que carregam esse micro-organismo têm a capacidade reduzida de transmitir os vírus para as pessoas, diminuindo o risco de surtos de dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Dois incêndios com características diferentes deram trabalho ao Corpo de Bombeiros em Venda Nova. Um na agência dos Correios, na Rua Padre Pedro Pinto, e outro no Parque Estadual Serra Verde, unidade de conservação vinculada ao Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Muro e parte de uma casa desabam no Bairro Santa Mônica, na Rua José Maria Botelho. Moradores e líderes comunitários culpam a Engibrás e a Sudecap pelo acidente, ocorrido no local onde acontecem as obras contra enchentes no Córrego Marimbondo.

11 Novembro

Prefeito Alexandre Kalil. Foto: Amira Hissa/PBH.

Alexandre Kalil (PSD) é reeleito prefeito de BH. Além disso, vereadores ligados a Venda Nova conseguem vencer as eleições: Iza Lourença (Psol), Jorge Santos (Republicanos), Nely Aquino (Pode), Cláudio do Mundo Novo (PSD), Rogério Alkimim (PMN) e Bim da Ambulância (PSD).

Enchente em Venda Nova arrasta carros e deixa família presa dentro de casa no Bairro Jardim Leblon. Caíram cerca de 50 milímetros de chuva na Regional só naquele dia, conforme a Defesa Civil.

Levantamento exclusivo mostra quem foram os 10 vereadores mais votados em Venda Nova nas eleições. A presidente da Câmara de BH, Nely Aquino, liderou o ranking.

12 Dezembro

Fachada do Mercado de Origem – Fonte: Divulgação/Mercado de Origem

Prefeitura abre terceira etapa de licitação para obras na Avenida Vilarinho. As intervenções vão acontecer nos córregos Vilarinho e Nado e no Ribeirão Isidoro. Essa fase prevê investimentos de R$ 152,4 milhões. O dinheiro vem da Caixa Econômica Federal.

A Regional Venda Nova e a cidade de Ribeirão das Neves estão próximas de ganhar uma opção geradora de empregos e de produtos rurais com valores mais baratos. Trata-se da implantação de duas das cinco novas unidades do Mercado de Origem, com previsão para o segundo semestre de 2021.

Justiça condena engenheiros pela queda do Viaduto Batalha dos Guararapes, ocorrida em 2014, entre Venda Nova e a Região Norte de BH. Advogada das famílias no processo cível, contudo, critica a sentença e a chama de “irrisória”, já que ninguém deve parar atrás das grades.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile