PBH | Crédito: Reprodução/Twitter BHTrans
Crédito: Reprodução/Twitter BHTrans
Publicidade

Iniciadas em março de 2020, de acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), as obras da Avenida Vilarinho continuam seguindo o cronograma pretendido. Agora, alguns trechos fechados na via foram reabertos, segundo a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans). Os acessos pela Rua Padre Pedro Pinto e Rua Doutor Álvaro Camargos também foram liberados.

A liberação completa das pistas da Avenida Vilarinho está prevista para o início de setembro, conforme BHTrans em resposta enviada ao Jornal Norte Livre.

De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), nesta segunda etapa, em que ocorre a adequação viária no entorno da via, com mudanças da geometria das pistas e pavimentação do segmento no sentido centro, a galeria central do córrego do Nado já foi demolida e restam apenas ajustes “na caixa de captação e os trabalhos de acabamentos de passeios, sarjetas, meio-fio, sinalização viária e paisagismo”.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Com o andamento, o desvio feito pela PBH e que levava o fluxo de carros da Avenida Vilarinho e da Rua Doutor Álvaro Camargos para a Rua Padre Pedro Pinto, com sequência na Avenida Dom Pedro I, será desabilitado. O percurso acumulava em uma estreita faixa os veículos que pretendiam chegar à Avenida Cristiano Machado, Shopping Estação ou Estação Vilarinho de Metrô, o que aumentava a lentidão dos motoristas que queriam sair de Venda Nova pelas vias.

Veja abaixo os locais liberados recentemente.

Recursos da PBH

O trânsito na Avenida Vilarinho estava interditado desde o dia 11 de maio de 2020. As linhas de ônibus 61, 62, 63 e 609 estavam alteradas para manutenção das faixas exclusivas no local. Embarques e desembarques de usuários dos coletivos não sofreram impacto.

Ainda de acordo com a PBH, “está sendo feita uma estrutura hidráulica de captação dos escoamentos superficiais (caixa de captação) no emboque do Ribeirão Isidoro, localizado no encontro da avenida com as ruas Doutor Álvaro Camargos e Maçom Ribeiro. A construção dessa estrutura de captação em forma de caixa tem área aproximada de 2,5 mil m² e volume da ordem de 10 mil m³ (10 milhões de litros)”.           

Cerca de R$ 12,8 milhões estão sendo investidos nesta parte do empreendimento, a qual tem previsão de término para o fim de 2020. A estrutura, a escavação, paredes e lajes já foram concluídas, segundo a PBH.



Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui