Fernando Frazão/Agência Brasil
Publicidade

Em vigor desde a quarta-feira (5), a partir do decreto e da sanção do prefeito Alexandre Kalil (PSD), o novo Plano Diretor de Belo Horizonte chega em 2020 com o intuito de reorganizar as formas de ocupação do território, propor mudanças na relação do município com os córregos e facilitar, burocraticamente, a aprovação de projetos e atividades econômicas. Um dos pontos de maior repercussão no planejamento é a permeabilidade do solo, que teve a importância acentuada após as chuvas de janeiro.



Pouco tempo após o decreto, os reflexos do novo Plano Diretor de Belo Horizonte começam a ser sentidos em Venda Nova. Entre as novas diretrizes, está a proibição da canalização de córregos e a manutenção daqueles que já existem em leitos naturais, com margens tratadas via parques ciliares ou áreas de preservação. Além disso, o cumprimento da taxa de permeabilidade natural nos lotes da cidade foi estabelecido como obrigatório pelo novo Plano Diretor.

Em Venda Nova, seis lotes presentes na Rua Maria Aline Lopes, altura do número 46 (em frente a ele), no Bairro Jardim Leblon, os quais eram demarcados como Zona de Adensamento Restrito (Zar 2), voltaram a ter utilidade como Área de Especial Interesse Social (Aeis 1). A medida tem base nas regras do novo Plano Diretor e foi solicitada por uma empresa privada.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Segundo a Secretaria Municipal de Políticas Urbanas (SMPU), no local serão construídos dois conjuntos habitacionais, com 76 unidades do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Esse é um dos passos iniciais para o empreendimento privado, portanto, não existe ainda data para início das obras. A SMPU também não informou o nome da empresa.

SMPU em nota esclarece:

“A publicação do Decreto nº 17.271 de 03 de fevereiro de 2020 é decorrente de solicitação de demarcação dos lotes 005, 006, 007, 022, 023 e 024 do quarteirão 008 da zona fiscal 915 como AEIS-1, feita pelo empreendedor para implantação de dois conjuntos habitacionais, com a produção total de 76 unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida. Trata-se de um empreendimento privado, sem aporte de recursos pelo Executivo.”  

O empreendimento é quase vizinho ao Parque do Bairro Jardim Leblon e tem cerca de 2.160 metros quadrados. Veja abaixo a localização por satélite.

Imagem: Google


Publicidade
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D."Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui