Obras continuam na Vilarinho mesmo com recomendação por quarentena. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.
Obras continuam na Vilarinho mesmo com recomendação por quarentena. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.
Publicidade

A nota tônica do momento é ficar em casa. A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio de seu gestor executivo, Alexandre Kalil (PSD), anunciou e exigiu nos últimos dez dias medidas preventivas de higienização no transporte público via coletivos, metrôs e escolares, nos táxis e nas estações. Além disso, sugeriu que os empresários liberassem seus funcionários e que as pessoas se mantivessem em domicílio até que o risco da pandemia passasse.

Decretou, inclusive, na terça-feira (17), que bares, restaurantes, shopping centers, feiras, exposições, congressos e quaisquer outras atividades e estabelecimentos com potencial de aglomeração de pessoas ficassem fechados a partir do dia 20 (sexta-feira). O intuito do prefeito é frear o avanço do novo coronavírus (causador da Covid-19) em Belo Horizonte e Região Metropolitana.

Em paralelo à quarentena, a Prefeitura de Belo Horizonte, pelo menos por enquanto, mantém as obras necessárias para contenção das enchentes em Venda Nova.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

Atualmente, duas grandes intervenções estão em andamento: o tratamento de fundo de vale e controle de cheias da bacia do Córrego do Nado e a instalação do piscinão na Avenida Vilarinho.



Segundo a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (Smobi), não houve alteração nos trabalhos por conta da pandemia. Inclusive, o efetivo de operários continua o mesmo, ainda que as autoridades de saúde recomendem que a população permaneça em casa.

De acordo com a pasta, “os funcionários seguem as mesmas orientações que foram repassadas para toda população, por meio da Secretaria Municipal de Saúde”.

Além disso, segundo a Smobi, existe nos locais engenheiro de segurança do trabalho, que acompanha e monitora as atividades dos funcionários.

Ainda de acordo com a prefeitura, os operários executam serviços de microdrenagem e instalam interceptor de esgoto no Córrego do Nado neste momento. O curso d’água é formado pelos mananciais Marimbondo e Lareira e causa as cheias, sobretudo, na Rua Doutor Álvaro Camargos, antiga 12 de outubro.

Na Vilarinho, a prefeitura, no momento, remove instalações de companhias de energia, gás e telefonia.

Igreja matriz

Foto: divulgação/Arquidiocese BH.
Foto: divulgação/Arquidiocese BH.

As medidas contra a proliferação do novo coronavírus viraram rito na cidade. A Arquidiocese de Belo Horizonte enviou cartas a todas paróquias sugerindo que os fiéis acompanhem as missas online.



Na Paróquia Santo Antônio de Venda Nova, a mais antiga da Regional, situada na Rua da Matriz,  65, todas as atividades e eventos foram suspensos por tempo indeterminado. Ainda, segundo a secretaria paroquial, “as obras para construção da nova igreja também estão paradas, com previsão de retomada após abril”.

Sonho antigo dos fiéis, a nova igreja matriz de Venda Nova já está saindo do papel. Localizada ao lado da atual, o templo teve suas obras iniciadas no segundo semestre de 2018 e a intervenção deve custar cerca de R$ 7 milhões.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui