Ainda faltam 11 dias para o fim do mês, mas Venda Nova já ultrapassou a média histórica de chuvas para janeiro na capital, que é de 329,1 milímetros de precipitação, segundo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com a Defesa Civil de Belo Horizonte, no domingo (19), a Regional registrou o acúmulo de 335,2 milímetros — 2% a mais do que o esperado para o mesmo período.



O domingo (19) foi marcado por intensas pancadas de chuva e raios. Somente na Regional, entre 14h10 e 16h30, caíram 55,8 milímetros de água. No outro lado da cidade, no Barreiro, houve o registro de 98,8 milímetros para o mesmo horário.

Além disso, durante o mês, o vendanovense enfrentou uma montanha-russa climática. A Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais registrou, no dia 13, às 14h45, o dia mais quente do ano até aqui, com a temperatura de 34,3 ºC.

Desde o primeiro dia, janeiro mostrou forte atividade pluvial. O trânsito na Avenida Vilarinho foi bloqueado preventivamente pela Defesa Civil ao menos seis vezes. Veja abaixo o histórico de alertas e procedimentos da Defesa Civil de Belo Horizonte:

11º de janeiro (quarta-feira)

Defesa Civil de Belo Horizonte emite alerta para fortes pancadas de chuva isoladas. No mesmo dia, por volta das 23h, o acesso à Avenida Vilarinho foi bloqueado por risco de alagamentos. Entre 21h e 00h35, Venda Nova recebeu 87,4 milímetros de chuva.

https://www.instagram.com/p/B6zVItYnvmZ/

2Dois de janeiro (quinta-feira)

Limpeza Vilarinho – Foto: Clarício Tolentino de Aguiar

A Defesa Civil de Belo Horizonte emite novo alerta para pancadas de chuva, com raios e rajadas de vento em torno de 50km/h. A Avenida Vilarinho, novamente, foi fechada. Até a madrugada do dia três de janeiro, Venda Nova já tinha a marca de 111,8 milímetros de precipitação. Cerca de 34% do esperado para o mês.

3Três de janeiro (sexta-feira)

Novo alerta de pancadas de chuva na cidade, com raios e rajadas de vento em torno de 50km/h. Até 22h20 da sexta-feira, Venda Nova já tinha recebido 214 milímetros de chuva (65% do esperado para o mês). À noite, a Avenida Vilarinho foi bloqueada e choveram 84,8 milímetros no dia. A Defesa Civil de Belo Horizonte ressaltou que em três dias caiu sobre a Regional mais do que a metade do aguardado para janeiro.

4Quatro de janeiro (sábado)

Mais chuva! De acordo com a Defesa Civil de Belo Horizonte, até as 16h40 do sábado, Venda Nova acumulou 217,2 milímetros de chuva no mês (66% do esperado para janeiro). O dia permaneceu encoberto por nuvens, com nevoeiros nas primeiras horas. Houve, na cidade, chuvas fortes com trovoadas e rajadas de vento ocasionais.

5Cinco de janeiro (domingo)

Choveu no início da manhã e Venda Nova registrou, segunda a Defesa Civil de BH, até as 8h, mais 7,6 milímetros de precipitação. O acumulado durante o mês foi para 225,6 (69% do esperado para janeiro). Houve alerta de risco geológico por causa da saturação do solo, com perigo moderado para alto de quedas de muros.

6Sete de janeiro (terça-feira)

As chuvas estiaram um pouco até o fim da manhã do dia sete, quando a Defesa Civil de BH emitiu novo alerta para pancadas de chuva com raios e rajadas de vento de cerca de 50km/h. Durante a tarde, houve alerta para o risco de granizo e à noite voltou a chover. Entre 19h e 21h20, caíram 6,8 milímetros sobre Venda Nova, que acumulou 232,2 do mês (71% do esperado para janeiro).

7Nove de janeiro (quinta-feira)

A Defesa Civil emitiu novo alerta para pancadas de chuva (20 a 30 mm) com raios e rajadas de vento de aproximadamente 50km/h. Às 15h40, houve alerta de possibilidade alta de ocorrência de granizo e a Avenida Vilarinho teve o acesso fechado por volta das 19h, sendo liberada uma hora depois. Entre 15h30 e 20h30, caíram 42 milímetros de chuva sobre Venda Nova.

813 de janeiro (segunda-feira)

Foto – Will Araújo/Jornal Norte Livre

As chuvas cessaram um pouco e, de acordo com a Defesa Civil de BH, a Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais, situada no Bairro Serra Verde, registrou, às 14h45,  o dia mais quente do ano, com temperatura mais alta do verão na capital: 34,3 ºC.

914 de janeiro (terça-feira)

A Defesa Civil emitiu alerta de pancadas de chuva (20 a 40 mm), com raios e rajadas de vento em torno de 50km/h. Além disso, às 14h52, houve novo alerta para ocorrência de granizo na capital (com confirmação na Pampulha). Às 16h14, a Avenida Vilarinho teve o acesso bloqueado, sendo liberada por volta das 17h13. Venda Nova registrou 38,6 milímetros de precipitação entre 15h e 17h10, o que elevou o acumulado do mês para 298,4 milímetros (91% do esperado para janeiro).

1015 de janeiro (quarta-feira)

Apesar de Venda Nova não ter registrado chuva, quatro outras regionais de Belo Horizonte superaram a média histórica prevista para janeiro. Foram elas a Centro-sul (370mm/113%), Noroeste (396,4/120%), Oeste (376,4/114%) e Pampulha(347,2/105%). Além disso, o dia o recorde de sete vias com acesso bloqueado pela Defesa Civil de BH.

1117 de janeiro (sexta-feira)

Às 2h55, a Defesa Civil emitiu alerta meteorológico para risco de inundação nas regionais Barreiro e Oeste, com pancadas de chuva entre 50 a 70 milímetros. Faltando 14 dias para o fim do mês, Venda Nova chegou ao limite da média histórica aguardada para o mês de janeiro, acumulando, aproximadamente, 328,2 milímetros de chuva (100% do esperado), com 62,7 milímetros para o dia.

1218 de janeiro (sábado)

Venda Nova ultrapassa a média histórica de chuva para janeiro e chega, até as 7h30 do dia 18, a 33,6 milímetros de precipitação (101% do esperado para o mês).

1319 de janeiro (domingo)

A Defesa Civil de BH emitiu alerta para pancadas de chuva com raios e rajadas de vento em torno de 50km/h. A Avenida Vilarinho teve o trânsito bloqueado novamente e, entre as 14h10 e 16h30, Venda Nova recebeu 55,8 milímetros de precipitação, atingindo o acumulado de 335,2 milímetros (102% do esperado para o mês). Houve, também, alerta de risco geológico para quedas de muros, deslizamentos e desabamentos.

Encarando o problema

Impulsionado pela série de alagamentos, fechamentos de avenidas e outros transtornos causados pela demora da Prefeitura de Belo Horizonte em resolver os problemas da Avenida Vilarinho, o movimento “Eu Vilarinho” organiza nesta terça-feira (21), às 19h, uma reunião para discussão das ocorrências. No ato, serão definidas as diretivas de 2020 e registradas ações judiciais contra PBH em busca de novas soluções para a região.

O movimento “Eu Vilarinho” foi um dos responsáveis por trazer à tona o problema com o projeto dos túneis apresentado pela PBH. Eles discutiram as deficiências da obra e levaram aos técnicos do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), do projeto Manuelzão, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D."Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui