Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro
Publicidade

Apesar da péssima campanha do time masculino no torneio nacional e consequente rebaixamento para a série B do Brasileirão, o Cruzeiro não amargou todo o final de semana. Como estrelas salvadoras do brasão, as Cabulosas do futebol feminino brilharam neste sábado (7), no Estádio das Alterosas, no Sesc Venda Nova, e consagraram-se campeãs invictas – oito vitórias e um empate – do Campeonato Mineiro Feminino de 2019.



Desde a quinta-feira (5), o Sesc Venda Nova celebrava o fomento ao futebol feminino com a presença do comitê social da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O desfecho do evento era a decisão, em jogo único, do campeonato feminino estadual, a qual ocorreria entre os times do Cruzeiro e América-MG.

Por isso, no dia anterior à partida final (6), houve, também, uma seletiva para descoberta de garotas, entre 14 e 19 anos de idade, que serão os próximos talentos do esporte em Minas. Observadores técnicos (olheiros) do América-MG, Atlético e Cruzeiro acompanharam as avaliações das novas promessas do futebol feminino.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

No sábado, antes do jogo da decisão, aconteceu o Festival do Futebol Feminino, em que meninas de 8 a 13 anos participaram com os familiares de oficinas e atividades para incentivo do esporte. Em seguida, às 17h, começou a final do Mineiro Feminino.

A partida

A campanha das Cabulosas no Campeonato foi impecável. O único empate ocorreu, justamente, na partida final contra o time das Coelhinhas do América-MG. Ambas equipes jogaram para frente, com ataques firmes e contra-ataques velozes. Contudo, o time celeste apresentou maior volume de jogo.

No início do segundo tempo, Janaína deu assistência para a atacante Kim que abriu o placar fazendo 1 a 0 para as Cabulosas. Mesmo com o tento marcado para o time celeste, as Coelhinhas não se intimidaram e, na saída de bola, desceram em ataque com Dilene, a qual foi parada com falta dentro da área adversária: pênalti para o América-MG. A atacante empatou o placar.

O empate levou a decisão para os pênaltis. O Cruzeiro marcou 6 vezes, enquanto o América-MG somou 5. As duas primeiras batedoras de cada time perderam a cobrança: a americana Dani Peré foi parada pela goleira Camila e cruzeirense Isabela chutou para fora.

Na sétima cobrança, a zagueira americana Nandão parou, novamente, na defesa da goleira cruzeirense Camila. A Cabulosa Aline Rosa bateu a última penalidade, acertou o canto esquerdo da goleira Deka (América-MG) e consagrou a invicta campanha do time celeste de futebol feminino.

O América-MG buscava seu tetracampeonato e participava da quinta final consecutiva. Já as jogadoras do Cruzeiro disputavam com a vida a chance do primeiro título.

O jogo deu alegria momentânea aos torcedores cruzeirenses, os quais, no dia seguinte (8), amargaram a derrota do time masculino para o Palmeiras e viram o rebaixamento para a série B do Brasileirão se tornar realidade.Para rever os lances de destaque do título do Cruzeiro Futebol Feminino, clique aqui.



Publicidade
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D."Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui