Prefeito Alexandre Kalil (PSD) - Foto: Amira Hissa/PBH.
Prefeito Alexandre Kalil (PSD) - Foto: Amira Hissa/PBH.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), disse que os próximos quatro anos à frente do Executivo municipal não serão suficientes para resolver o problema das enchentes na Avenida Vilarinho, em Venda Nova.

“Nós já começamos. Quatro anos não. É pouco. Em quatro anos não se resolve o problema”, disse o prefeito em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite dessa segunda (30). Ele, porém, garantiu que já há dinheiro garantido para solucionar as enchentes.

“O dinheiro está lá dentro. Não importa quem seja o prefeito. Qualquer pateta que estiver lá dentro vai fazer, porque o dinheiro está lá dentro”, afirmou.

As jornalistas Márcia Maria Cruz, do Estado de Minas, e Carolina Linhares, da Folha de S. Paulo, fizeram o questionamento no último bloco do programa (assista o vídeo abaixo).

As jornalistas lembraram que o prefeito assumiu a culpa das mortes que ocorreram em Venda Nova em 15 de novembro de 2018. A combinação entre a precipitação intensa e a falta de infraestrutura na Vilarinho tirou a vida de quatro pessoas naquela data.

“Continua (sendo culpado), mas nós já assinamos o contrato com a Caixa. Os projetos estão prontos. Trouxemos o Ministério Público (de Minas Gerais), a Procuradoria, todo mundo pra mesa, o Tribunal de Justiça (de Minas Gerais), pra a gente acelerar a licitação”, disse Kalil.

Convênio da Vilarinho

Obras já estão em andamento na confluência dos córregos do Nado e Vilarinho, em BH. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.
Obras já estão em andamento na confluência dos córregos do Nado e Vilarinho, em BH. Foto: Gabriel Ronan/Jornal Norte Livre.

Em setembro deste ano, a Prefeitura de BH assinou convênio com a Caixa Econômica Federal para obter empréstimo de R$ 200 milhões para as obras na Vilarinho.

Portanto, o dinheiro será destinado, principalmente, à construção dos dois piscinões. Um na Avenida Vilarinho e outro na Rua Doutor Álvaro Camargos, a antiga 12 de Outubro.

O Executivo municipal chamou o convênio de “maior contrato do Brasil entre municípios e a Caixa”.

Esse aporte será destinado à implementação de um segundo reservatório na Avenida Vilarinho, conhecido como Vilarinho 2.

Além disso, vale lembrar que o primeiro piscinão já está em construção (foto) e está situado no encontro da Rua Maçon Ribeiro com a avenida, em frente ao Habib’s.

O financiamento, segundo o Executivo municipal, deverá ser pago em 11 anos, sendo um ano de carência e 10 anos de amortização.

Assim, o custo efetivo total da operação é de 122,69% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) ao ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui