Crédito: Divulgação/CinSercla

No início de janeiro, a CineSercla, administradora das salas de cinema presentes no Shopping Norte, anunciou a interrupção das atividades por tempo indeterminado por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Contudo, nesta quinta-feira (18), por meio de um tímido anúncio em banner no centro de compras, o serviço voltou a funcionar.

Conforme a administração da CineSercla, um dos motivos de terem pausado as atividades era a baixa frequência de público e a queda abrupta do faturamento. O cinema, que foi inaugurado em 1998, recebeu apenas 20% do público habitual durante a pandemia.

A notícia de que o terceiro cinema mais velho da Regional Venda Nova iria interromper atividades impactou nas redes sociais e causou saudosismo nos moradores.

“Eu gostava do cinema do Shopping Norte. Levava minha filha quando criança, pois era menor e menos cheio. Sem contar na praticidade de estacionar e a boa localização. Os preços também eram atrativos se comparados a outras salas”, comentou a leitora do Norte Livre Miriam Costa.

VOCÊ JÁ ASSISTIU A ALGUM FILME LÁ? TEM LEMBRANÇAS? O cinema do Shopping Norte interrompeu suas atividades…

Publicado por Jornal Norte Livre em Segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

A superprodução “Titanic” (1998) foi um dos longas-metragens que estrearam junto com as salas de cinema. Entretanto, a maior bilheteria do cinema foi atingida com a exibição do filme “Vingadores: Ultimato”.

O cinema do Shopping Norte está situado no centro de compras localizado na Avenida Vilarinho, 1.300, no Bairro Parque São Pedro.

O cinema do Shopping Norte durante a pandemia

Segundo a CineSercla, o cinema funcionava conforme as regras sanitárias definidas pela Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas. Além disso, a empresa seguia os protocolos de segurança da Prefeitura de Belo Horizonte.

“Essas medidas estavam impressas em banners nas entradas de cada cinema, nos banheiros, nas TVs e telas das salas de projeção com vinheta alertando o espectador sobre os procedimentos de segurança”, esclareceu por nota.

As salas também operavam com redução de capacidade de mais de 50% para manter o distanciamento social entre os espectadores. Portanto, o sistema do cinema bloqueava automaticamente todas as poltronas ao redor daquela escolhida pelo espectador.

Ao final de cada sessão, toda a sala era devidamente higienizada. Ainda assim, o impacto pela queda do faturamento não impediu o fechamento, ainda que provisório, do estabelecimento.

Saiba mais

Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D."Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui