Chuva voltou a causar danos em Venda Nova nesta sexta. Foto: divulgação/Corpo de Bombeiros.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil atendem a diversas ocorrências de destaque em Venda Nova nesta sexta (13) por causa das chuvas que caíram sobre Belo Horizonte. Carros arrastados protagonizam os principais chamados. Além disso, uma família ficou presa dentro de casa por causa de uma enchente no Bairro Jardim Leblon.

O caso mais complicado é do Leblon. Segundo a corporação, a água chegou à altura dos joelhos dos moradores da residência. O imóvel está localizado na Rua Humberto Campos, 893.

Ainda de acordo com os bombeiros, um idoso acamado vive no local. A pressão da água impediu que os moradores deixassem a casa. O carro do proprietário, inclusive, já foi arrastado pela força da correnteza.

Contudo, ao chegarem ao local os militares conseguiram desobstruir o caminho e retirar os moradores do imóvel com segurança.

Na Avenida Vilarinho, histórico ponto de enchentes de Venda Nova, os bombeiros também registram alagamentos. A chuva arrastou diversos carros, sobretudo na região da confluência dos córregos do Nado e Vilarinho, nas proximidades do Shopping Estação BH.

Houve alagamento também no Bairro Letícia, encontro da Rua Padre Pedro Pinto com a Avenida Elias Antônio Issa, nas proximidades do Decisão Atacarejo.

Venda Nova foi a região de BH mais atingida pelas chuvas nesta sexta, com 43,8 milímetros até as 12h40.

Essa quantidade equivale, portanto, a 18,3% da média histórica esperada para todo o mês de novembro. Os dados são da Defesa Civil de BH.

Diversas vias também foram fechadas para tráfego de veículos, inclusive a Padre Pedro Pinto, a Dom Pedro I e a Vilarinho. A BHTrans realizou as interdições, que fazem parte do protocolo da prefeitura para preservar vidas durante as enchentes.

Porém, boa parte delas já está liberada para tráfego de veículos, de acordo com informações da Defesa Civil.

Período de chuva

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), por meio da Seção de Análise e Previsão do Tempo (Sepre), do quinto distrito de meteorologia de Minas Gerais, presente em Belo Horizonte, o período chuvoso de toda Região Sudeste ocorre entre os meses de outubro e março do ano seguinte.

Há uma intensificação durante a primeira quinzena de setembro e entre os meses de novembro e janeiro – considerado o trimestre com maiores índices pluviais em BH.

Há pouco mais de um mês, no dia 7 de outubro, uma obra relacionada a chuvas e solução das cheias dos córregos em Venda Nova gerou problemas para moradores. Uma retroescavadeira da PBH atolou no leito do Córrego Marimbondo, próximo à Rua José Maria Botelho, no Bairro Santa Mônica, e, ao tentar sair do local, retirou o sustento do muro e parte de duas casas.

Na madrugada do mesmo dia, o muro de uma das casas caiu e parte da do quarto e cozinha da outra desabou. A moradora que teve o muro danificado era uma idosa de 84 anos.

A Defesa Civil de Belo Horizonte esteve no local no anterior ao desabamento e, segundo os afetados, disse que não havia riscos. Após a queda do muro e parte da casa, levou cobertores para os moradores.

Relembre, na linha do tempo abaixo, o histórico das obras que ocorrem em Venda Nova para frear os danos provocados pela chuva:

4 COMENTÁRIOS

  1. KD PREFEITO DE BHTE ?? DIZEM QUE ELE MUITO BOM, QUE ATE AGORA NAO FEZ NADA E NEM VAI FAZER,KD ? gente olhe bem quando for votar,ele e muito ruim, so tem papo mais nada nada ok

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui