Localizado no Bairro São João Batista, em Venda Nova, 49º Batalhão da PM está recolhendo doações para os prejudicados pelas chuvas em Minas. Foto: reprodução/Google Street View.
Publicidade

Os problemas que Minas Gerais e Belo Horizonte tem passado com as chuvas desde a semana passada forçam as autoridades a pedir doações para a população. Quem quiser ajudar as mais de 46 mil pessoas afetadas pelas precipitações no estado deve se dirigir a unidades do Corpo de Bombeiros, a batalhões da Polícia Militar ou ao Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas – Avenida Cristóvão Colombo, 683, Funcionários).

Em Venda Nova, um ponto de doação é o 49º Batalhão de Polícia Militar, localizado na Rua Érico Veríssimo, 561, no Bairro São João Batista. Segundo militares que trabalham na unidade, o morador pode se deslocar ao endereço das 8h às 17h, preferencialmente a partir desta quinta-feira (30).

Quinta-feira porque, segundo a corporação, houve uma doação muito grande de materiais em Venda Nova nos últimos dias e os militares têm enfrentado alguns problemas de logística para acomodar todas as doações. Contudo, uma nova leva de mantimentos será enviada aos afetados na quarta, o que abrirá espaço para mais contribuições.

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE


Outro ponto de doação em Venda Nova é o pelotão dos bombeiros localizado na Cidade Administrativa, no Bairro Serra Verde. Lá, o cidadão deve se deslocar ao prédio Alterosas, aquele menor localizado logo na saída do túnel que dá acesso à sede do governo estadual.

Entre as doações, as autoridades pedem alimentos não perecíveis, colchões, travesseiros, lençóis, água mineral e materiais de higiene pessoal e de limpeza. Os últimos, evidentemente, serão usados para limpar os imóveis arrasados pela água da chuva.

Arrasada pelas chuvas nos últimos anos, Venda Nova, até o momento, não tem registro de ocorrências de destaque desde a última semana. Na terça, quando boa parte da cidade, principalmente as regiões Centro-Sul, Barreiro e Oeste, ficou debaixo d’água, Venda Nova recebeu apenas 0,4 milímetro de precipitação.

Nas tempestades recentes, a Defesa Civil de BH precisou fechar a Avenida Vilarinho e a rua Doutor Álvaro Camargos por conta das enchente que sempre toma conta da região da Estação Vilarinho. A estratégia do órgão municipal tem dado resultado, já que, felizmente, não tivemos vítimas na principal via de Venda Nova neste período chuvoso.

Em Minas, no entanto, os estragos já são sentidos. Desde sexta, a Defesa Civil estadual contabiliza 46.980 pessoas afetadas pelas chuvas, com 53 cidadãos mortos, dois desaparecidos, mais de 38 mil desalojados e mais de 8 mil desabrigados.



São 13 mortes em BH, sendo 12 causadas por deslizamentos na Vila Bernadete, no Barreiro, e no Bairro Jardim Alvorada, no Nordeste da cidade. Outra pessoa morreu no Granja de Freitas, Leste de Belo Horizonte.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui