Rua José do Carmo Oliveira, no Bairro Minascaixa: o local do incêndio. Foto: reprodução/Google Street View.
Rua José do Carmo Oliveira, no Bairro Minascaixa: o local do incêndio. Foto: reprodução/Google Street View.
Advertisement

O Corpo de Bombeiros combate um incêndio de grandes proporções em Venda Nova na tarde desta quinta-feira (17). Segundo a corporação, as chamas atingem um bambuzal localizado na Rua José do Carmo de Oliveira, no Bairro Minascaixa.

Ainda de acordo com os bombeiros, não há registro de feridos no local. Ainda assim, militares seguiram para o local com uma viatura para combater as chamas.

A fumaça dispersada pelo incêndio forçou a corporação a evacuar um prédio localizado nas imediações. Trata-se de um imóvel administrado pelo Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC). 

Conforme os bombeiros, no entanto, a preocupação persiste no local. Isso porque o fogo corre risco de atingir casas localizadas nas proximidades, o que pode causar danos estruturais nos imóveis.

Vídeo gravado pela corporação mostra a situação no local. Veja abaixo:

Outras ocorrências

Além de Venda Nova, o Corpo de Bombeiros registrou outros três incêndios em BH e Região Metropolitana nesta quinta. O maior deles se concentra na mata da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Três viaturas se deslocaram ao local.

Na Rua Ponte Nova, no Bairro Salgado Filho, outra ocorrência deste tipo. Uma viatura estava no local e as chamas estavam situadas atrás do Colégio Cândido Portinari.


Você é de Venda Nova?

Morador(a) de Venda Nova, fique por dentro de notícias exclusivas e específicas da regional. Clique no botão ao lado/abaixo e siga o Jornal Norte Livre nas redes sociais.


Na Grande BH, o tempo seco e a irresponsabilidade humana, causas de 99% das queimadas segundo os bombeiros, combinaram para um incêndio em Sabará. Outra viatura estava na Rua Santa Catarina, na Vila São José.

Histórico

Apesar do mês com o maior número de queimadas (setembro) já ter passado, outubro costuma ser marcado pelas queimadas também. Só neste mês, até essa quarta-feira (16), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) computou 872 focos ativos de calor em Minas Gerais.


Leia também


Apesar do mês ainda não ter acabado, essa totalidade já supera o balanço fechado do mesmo período de 2018. No ano passado, o Inpe registrou 840 ocorrências.

Quanto a setembro último, os bombeiros enumeraram 1.167 queimadas em Belo Horizonte, um aumento de 135 em relação a setembro de 2018.

Em Minas Gerais, o acréscimo foi ainda mais substancial: salto de 9.983 no ano passado para 15.792 em 2019, diferença de 5.809.

Curta e compartilhe nas redes sociais
26Shares