Foto: Abraao Bruck/CMBH

Apesar de Belo Horizonte ser uma cidade considerada jovem, completando 123 anos no dia 3 de dezembro, a política ainda mantém antigas tradições. A capital possui 41 cadeiras dedicadas a vereadores e vereadoras, mas, conforme dados acumulados durante os exercícios eleitorais, oferta menos oportunidades do que os candidatos imaginam.

No exercício eleitoral de 2012, após apuração das urnas, a Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) teve uma taxa de renovação calculada em 53% (22 novos vereadores foram eleitos e 19 se reelegeram).

nas últimas eleições municipais, ocorridas em 2016, após contagem de 100% das urnas, novamente o percentual ficou entre 50% e 60%. Na ocasião, 18 candidatos se reelegeram, enquanto 23 novos entraram para a CMBH.

Em 2008, o percentual de renovação era ainda mais baixo, com 17 novos eleitos (42%), enquanto 24 mantiveram-se na casa.

Dado relevante e que parece escapar dos mais antigos veículos de imprensa é que parcela desses novos candidatos eleitos (não reeleitos), estão saindo e voltando para a Câmara Municipal de maneira intercalada entre os pleitos. Ou seja, a renovação não é real se os números forem aprofundados.

Há décadas no cargo

Como exemplo, é possível citar o vereador Reinaldo Gomes de Souza, mais conhecido por Reinaldo Preto do Sacolão (MDB). O político foi eleito a primeira vez em 2008 e cumpriu mandato entre 2009 e 2012, ficou como suplente nas eleições de 2012 (não se elegeu, mas ficou no “banco de reservas”) e subiu ao cargo substituindo outro vereador de 2015 a 2016.

Nas últimas eleições municipais de Belo Horizonte, as de 2016, voltou a ser eleito e agora, em 2020, tenta a reeleição. Reinaldo Preto do Sacolão (MDB) foi considerado uma renovação da CMBH em 2016 pois não foi reeleito, mas estava na casa entre idas e vindas desde 200810 anos.

Outro exemplo é o vereador Leonardo Silveira de Castro Pires, mais conhecido como Léo Burguês (PSL). A primeira eleição vencida pelo candidato ocorreu em 2000 (mandato de 2001 a 2004), em 2004 (mandato de 2005 a 2008) ele não conseguiu se reeleger, o que o transformou em novidade para a Câmara Municipal em 2008, quando novamente foi eleito.

A partir de 2008, o candidato se reelegeu até os dias atuais, acumulando 16 anos na casa.

Para além dos vereadores que caem na esteira das eleições como novos candidatos por estarem intercalando mandatos, existem os de aparente cadeira cativa, como é o caso de Henrique Higídio Braga, de alcunha Pastor Henrique Braga (PSDB).

O pastor foi eleito a primeira vez, conforme a CMBH, em 1988 e exerceu o mandato entre 1989 e 1992. Depois, não conseguiu se reeleger em 1992, mas ficou no “banco de reservas” como suplente e substituiu um vereador entre 1995 e 1996.

Houve um hiato entre os anos de 1997 e 1999, quando não conseguiu se reeleger, mas voltou no final do mandato de outro vereador, novamente o substituindo entre 2003 e 2004.

A partir de 2004, Henrique Braga não perdeu mais eleições e se mantém todos esses anos na Câmara Municipal como vereador reeleito (2004, 2008, 2012 e 2016). Ao todo, são 24 anos como vereador em Belo Horizonte. Neste ano, tentará novamente.

Semelhante com Henrique Braga (PSDB), existe o vereador Arnaldo Augusto Godoy, de nome eleitoral Arnaldo Godoy (PT). A primeira vez que subiu à casa foi na eleições de 1992, com mandato entre 1993 e 1996. Depois, novamente sob as mesmas características de “banco de reservas” eleitos (suplentes), exerceu mandato de 1999 a 2000.

Em seguida, Arnaldo Godoy não parou de ser reeleito. Em 2000, foi definitivamente eleito e seguiu reeleição em 2004, 2008, 2012 e 2016. Está, ao todo, 26 anos como vereador de Belo Horizonte e tentará reeleição agora, em 2020.

Renovação ou velha política?

A palavra renovação parece não se encaixar na Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH). Enquanto, aproximadamente, 1.000 candidatos e candidatas tentam se eleger, a cada pleito, para umas das 41 cadeiras “disponíveis” na casa, o número de vagas consideradas de livre concorrência e democráticas fica ainda mais enxuto quando se trata de representantes mulheres e negros e negras. Quiçá indígenas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), são considerados etnicamente negros pessoas que se autodeclaram de cor parda ou preta. No censo de 2010, 45,4% dos mineiros se denominaram brancos, enquanto 53,5%, sob a mesma ótica de cores, disseram que são negros.

Em Minas, foi a primeira vez que houve registro verificado para população de mais negros que brancos. Quando se tratam de homens e mulheres, Belo Horizonte ainda tem outro fator importante: segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) de 2018, na capital, o gênero feminino representa 53,8% da população.

Esses dados refletidos em Belo Horizonte geram uma imensa discrepância de representatividade na Câmara Municipal. Dos vereadores eleitos, reeleitos e substitutos como suplentes desde o último pleito, houve apenas cinco mulheres empossadas. São elas:

  • Áurea Carolina (PSOL), a qual foi eleita Deputada Federal em 2018
  • Bella Gonçalves (PSOL), a qual substituiu Áurea Carolina em 2019
  • Cida Falabella (PSOL)
  • Marilda Portela (Cidadania)
  • Nely Aquino (Pode).

Antes das eleições de 2016, o número de mulheres era ainda mais baixo. Apenas uma mulher foi eleita em 2012: Elaine Matozinhos (PTB).

Com respeito aos candidatos por etnia, muitos se consideram pardos e poucos autodeclaram-se pretosapenas Áurea Carolina (PSOL) e Wesley Autoescola (PHS). Alguns, apesar da palavra no nome, como os vereadores Reinaldo Preto do Sacolão (MDB) e Preto (DEM), não trazem a autodenominação preta como cor.

Abaixo, vemos a lista de candidatos atualmente empossados e é possível perceber a homogeneidade de cor que permeia a CMBH:

Fonte: Portal on-line CMBH

Contudo, mesmo quando quantificamos os pardos, existem apenas nove. A soma de vereadores ativos da etnia em questão é de 24%, o que não representa a realidade belo-horizontina.

A Câmara Municipal de Belo Horizonte é ocupada há vários anos, em quase totalidade, por homens brancos cisgêneros. Além disso, os perfis que mais garantiram permanência na casa foram os de vereadores autodenominados pastores, professores e ligados a ambulâncias e famílias que já tiveram algum parente no cargo.

“Reeleição nossa de cada pleito”

Neste ano, dos 41 vereadores da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) em atuação, apenas quatro não tentarão se reeleger. São eles o Dr. Bernardo Ramos (Novo), Fernando Borja (Avante), Orlei (PSD) e Ronaldo Batista (PSC).

São, também, quatro candidatos que tentam a reeleição e têm ligação ou influência na Regional Venda Nova: Bim da Ambulância (PSD), Carlos Henrique (PTB), Dr. Nilton (PSD) e Nely Aquino (Pode).

Na esteira dos anos de cadeira na casa legislativa da capital, e atualmente em atividade, temos:

  1. Arnaldo Godoy (PT) – 26 anos na CMBH e tentará reeleição
  2. Pastor Henrique Braga (PSDB) – 24 anos na CMBH e tentará reeleição
  3. Preto (DEM) – 24 anos na CMBH e tentará reeleição(desde 1996 em reeleições consecutivas)
  4. Léo Burguês (PSL) – 16 anos na CMBH e tentará reeleição
  5. Autair Gomes (PSC) – 12 anos na CMBH e tentará reeleição (desde 2004 em reeleições consecutivas)
  6. Reinaldo Preto do Sacolão (MDB) – 10 anos na CMBH e tentará reeleição
  7. Bim da Ambulância (PSD) – 8 anos na CMBH e tentará reeleição
  8. Bispo Fernando Luiz (PSD) – 8 anos na CMBH e tentará reeleição
  9. Dr. Nilton (PSD) – 8 anos na CMBH e tentará reeleição
  10. Elvis Cortês (PSD) – 8 anos na CMBH e tentará reeleição
  11. Gilson Reis (PCdoB) – 8 anos na CMBH e tentará reeleição
  12. Jorge Santos (Republicanos) – 8 anos de CMBH e tentará reeleição
  13. Juninho Los Hermanos (Avante) – 8 anos de CMBH e tentará reeleição
  14. Orlei (PSD) – 8 anos de CMBH, mas não tentará reeleição
  15. Pedro Patrus (PT) – 8 anos de CMBH, mas não tentará reeleição
  16. Professor Juliano Lopes (PTC) – 8 anos de CMBH
  17. Professor Wendel Mesquita (Solidariedade) – 6 anos de CMBH e se candidatou a prefeito em 2020
    ABAIXO OS CANDIDATOS CONSIDERADOS DA RENOVAÇÃO DE 2016
  18. Álvaro Damião (PSB) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  19. Carlos Henrique (PTB) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  20. Catatau do Povo (PSD) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  21. Cida Falabella (PSOL) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  22. Edmar Branco (PSB) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  23. Eduardo da Ambulância – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  24. Fernando Borja (Avante) – 4 anos de CMBH, mas não tentará reeleição
  25. Flávio Santos (PSC) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  26. Gabriel Azevedo (Patriota) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  27. Hélio da Farmácia (PSD) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  28. Irlan Melo (PSD) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  29. Jair di Gregorio (PSD) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  30. Marilda Portela (Cidadania) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  31. Nely Aquino (Pode) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  32. Pedrão do Depósito (Cidadania) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  33. Pedro Bueno (Cidadania) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  34. Wesley Autoescola (PROS) – 4 anos de CMBH e tentará reeleição
  35. Bella Gonçalves (PSOL) – 2 anos de CMBH e tentará reeleição
  36. Ronaldo Batista (PSC) – 2 anos de CMBH, mas não tentará reeleição
  37. Maninho Félix (PSD) – 2 anos de CMBH e tentará reeleição
  38. Dr. Bernardo Ramos (Novo) – 2 anos de CMBH, mas não tentará reeleição
  39. César Gordin (Pros) – 2 anos de CMBH e tentará reeleição
  40. Ramon Bibiano (PSD) – 2 anos de CMBH e tentará reeleição
  41. Dimas da Ambulância (PSC) – 2 anos de CMBH e tentará reeleição.

Fontes

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/belo-horizonte/panorama

https://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-anteriores/eleicoes-2004/candidaturas-votacao-e-resultados/resultados-das-eleicoes-2004

http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/municipios/2020/2030402020/41238/candidatos

https://www.cmbh.mg.gov.br/vereadores

https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9171-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-mensal.html?=&t=resultados

https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9171-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-mensal.html?=&t=destaques

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui