Publicidade

Aluna de Venda Nova vence Olimpíada de Língua Portuguesa

Pela segunda vez no ano de 2019, escola pública da Regional Venda Nova representa toda Minas Gerais em concurso nacional e vence

Nicole Rodrigues Florentino recebe premiação - Frame da transmissão ao vivo
Publicidade

Na segunda-feira (9), após passar pelas etapas municipais, estaduais e regionais, o poema da vendanovense Nicole Rodrigues Florentino, “Da janela de Minas”, venceu como uma das 20 melhores produções estudantis da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa. Foram quatro vencedores escolhidos para cada uma das cinco categorias do concurso nacional: Crônica, Memórias Literárias, Poema, Documentário e Artigo de Opinião. A aluna da Escola Municipal José Maria Alkmin, no Bairro Serra Verde, Venda Nova, Belo Horizonte, foi uma das campeãs.



A cerimônia de premiação aconteceu na Sala São Paulo, situada na praça Júlio Prestes, 16, em São Paulo. O cantor e compositor Lenine fez o show de abertura do evento, que começou às 19h e foi transmitido pelo Canal Futura no Facebook (veja o link no final da matéria).

Professores(as), estudantes e seus familiares lotaram o teatro para aguardar a divulgação das 20 melhores produções inscritas na 6ª edição. Foram 42.086 escolas e 4.876 municípios participantes. Concorreram entre si 171.035 trabalhos supervisionados por mais de 85 mil docentes. Na final, Nicole ficou entre os quatro primeiros lugares da categoria poema.

Publicidade

No mês passado, Nicole, que tem 11 anos, contou à nossa reportagem que nunca tinha saído de Minas Gerais e viajado de avião. No início, não sabia nem se queria participar do concurso, mas decidiu bem e, poucas semanas antes da premiação final, não continha a emoção de ser uma finalista entre tantos.

A Olimpíada

Nicole Rodrigues – Escola Municipal José Maria Alkmin – Foto: Will Araújo/ornal Norte Livre

A 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa homenageou a escritora mineira Conceição Evaristo com o tema “O lugar onde vivo”. Nicole foi a única finalista de Minas Gerais, por isso carregou a responsabilidade de todo um estado.

Na cerimônia, a categoria poema foi a primeira a ser contemplada e Nicole foi a última a ser chamada entre os quatro vencedores. Como prêmio, conforme regulamento da competição, a estudante ganhou uma medalha e terá uma viagem cultural para uma cidade brasileira a ser definida pela organização.

A professora Terezinha L. da Silva também recebeu uma medalha e terá uma semana de imersão pedagógica internacional em local a ser definido pelos gestores do concurso. A Escola Municipal José Maria Alkmin, sob a direção do professor de geografia Luis Marcos de Oliveira, foi contemplada com uma placa de homenagem e ganhará novo acervo para a biblioteca escolar, definido pela organização da competição.

A conquista de Nicole e a placa recebida pela Escola remetem a muito mais do que premiações, pois demonstram que a educação pública de Venda Nova, apesar dos percalços, consegue estabelecer níveis de qualidades competitivos com todo o país. Além disso, é a segunda vez no ano que a Regional representa todo o estado de Minas Gerais em um concurso nacional e vence.

Para ver a cerimônia de premiação na íntegra, clique aqui. Nicole e a professora Terezinha são chamadas ao palco pouco depois dos 26 minutos de transmissão. Veja aqui quem foram os demais vencedores de cada categoria.

O poema

“Da janela de Minas”
Nicole Rodrigues (5MC)

Da janela de minha casa,
Vejo um belo horizonte.
Que lugar maravilhoso!
Aqui é um lugar esplêndido
De se viver, curtir e divertir.

Da janela de minha casa,
Vejo turistas curiosos,
Com um olhar fascinante,
Admirando nossa
Pampulha exuberante.

Da janela de minha casa,
Vejo um delicioso feijão tropeiro,
Digno de um mineiro,
Tão bom quanto o seu cheiro.

Da janela de minha casa,
Vejo belos museus ordenados,
Com nosso passado
Muito bem guardado.

Da janela de minha casa,
Vejo cintilantes cachoeiras,
Onde nadamos e nos refrescamos.

Da janela de minha casa,
Vejo tanto desemprego,
Assombrando nossa gente,
Que é honesta e decente.

Da janela de minha casa,
Vejo crianças sem cama,
Sem casa e sem comida.

Da janela de minha casa,
Vejo lágrimas tristes escorrendo,
Pelo rosto de quem perdeu
Um ente querido
Na barragem que se rompeu.

Da janela de minha casa,
Vejo a realidade de nossa sociedade,
Gente que não tem nada,
Mas ainda resta a fé.

Da janela da minha casa,
Vejo quase tudo…
Só aguardo a justiça,
A solidariedade e a honestidade
Serem feitas para vivermos
em igualdade.
Essa é a mais pura verdade. 




Publicidade

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile