Prefeito Alexandre Kalil (PSD) - Foto: Amira Hissa/PBH.
Prefeito Alexandre Kalil (PSD) - Foto: Amira Hissa/PBH.
Publicidade

Levado pelos números crescentes de taxa de transmissibilidade, ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e leitos de enfermaria, o prefeito Alexandre Kalil (PSD), nesta quarta-feira (25), organizou, acompanhado pelo Comitê de Enfrentamento ao Covid-19, uma coletiva de imprensa para esclarecer as posturas que serão adotadas pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

De acordo com o chefe do executivo, a PBH não terá mais tolerância com a “irresponsabilidade e ignorância de meia dúzia de pessoas”, as quais promovem festas particulares e aglomerações em bares e restaurantes, colocando em risco a vida de muitos.

“Nós não vamos fechar a cidade ainda. Tá certo? O Comitê autorizou o pedido da CDL-BH, Sindilojas BH… e nós vamos autorizar a abertura dos três domingos que foram pedidos pelo comércio. Nós ampliamos o decreto no curso de R$ 400 milhões para julho de 2011. Então, boa vontade não está faltando. Agora, a irresponsabilidade, primeiro, vai nos levar a um grande prejuízo a todos”, disse Alexandre Kalil (PSD).

CONTINUA APÓS ESTA PUBLICIDADE

O prefeito disse que o momento é de que os bares e restaurantes ajudem a fiscalizar os “baderneiros” para que sejam evitados prejuízos maiores. Afirmou, ainda, que a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) está apoiando as posturas adotadas pela PBH e que os agentes da prefeitura não darão mais notificações a donos de estabelecimentos, eles multarão e lacrarão as lojas.

Inclusive, pontuou que os agentes terão poder de “polícia”, podendo identificar comerciantes que resistirem às sanções e solicitando a prisão dos mesmos. As multas a festas clandestinas podem chegar ao valor de R$ 17 mil e, conforme Comitê, as redes sociais estão sendo monitoradas.

Vacina do novo coronavírus (Covid-19)

Segundo Alexandre Kalil (PSD), a PBH está tão preocupada com a situação da cidade que se preparou para comprar vacinas suficientes para imunizar todos os cidadãos, desde que sejam liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), comitês de especialistas e governo federal.

“Tem uma luz no fim do túnel”. Talvez, sejam apenas mais dois meses de espera. Por isso, não é hora de ser irresponsável, disse o chefe do executivo.

Critérios para o fechamento

Em maio, a prefeitura tentou iniciar a reabertura do comércio, mas, dias depois, viu-se obrigada a regredir na decisão. Por isso, em agosto, propôs novas etapas de flexibilização e deu o primeiro passo no dia 6 do mesmo mês.

Contudo, no primeiro dia de reabertura, o que se viu na cidade foram filas em portas de shoppings e aglomerações em bares e restaurantes. Veja aqui uma matéria sobre o assunto.

Os critérios adotados pela PBH para definir a continuidade da reabertura do comércio são baseados nos indicadores de monitoramento, chamados popularmente pelo prefeito de “termômetros do Covid-19”. À época, os números demonstravam tendência de queda e estabilidade. Porém, atualmente, apresentam crescimento das taxas de transmissibilidades, ocupação de leitos de UTI e leitos de enfermaria.

Indicadores de monitoramento do Covid-19 em BH - Fonte: PBH
Indicadores de monitoramento do Covid-19 em BH – Fonte: PBH

Conforme o último boletim epidemiológico da PBH, do dia 25 de novembro, o atendimento da rede própria a pessoas com notificações de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave (SRAG) com suspeita de Covid-19 apresentam aumento gradativo. Veja o gráfico abaixo.

Gráfico de atendimento da PBH - Fonte: PBH
Gráfico de atendimento da PBH – Fonte: PBH

Atualmente, a cidade possui mais de 53 mil casos confirmados de Covid-19 e registra 1.622 óbitos. A taxa de mortalidade é de, aproximadamente, 3%.

Casos confirmados para Covid-19 em BH - Fonte: PBH
Casos confirmados para Covid-19 em BH – Fonte: PBH

Entre o bairros de BH com maior número de óbitos, estão alguns de Venda Nova:

  1. Mantiqueira: 18
  2. Santa Mônica: 16
  3. São João Batista: 16
  4. Piratininga: 14
  5. Céu Azul: 12

Veja abaixo a tabela com os casos confirmados e número de óbitos de todos os bairros.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui