Manter animais longe do sereno, evitar banhos quentes demais e passeios muito cedo ou muito tarde são algumas dicas. Crédito: Jonathan Willier/Flickr.
Manter animais longe do sereno, evitar banhos quentes demais e passeios muito cedo ou muito tarde são algumas dicas. Crédito: Jonathan Willier/Flickr.

Por Gabriel Ronan

O frio chegou em Belo Horizonte e junto com ele cresce a preocupação com os animais de estimação. Como manter os pets aquecidos corretamente? Quais as doenças típicas da estação? Como dar banho sem prejudicar meu bichinho? Essas são algumas perguntas que circulam pela cabeça dos donos de cães e gatos.

Para tirar dúvidas e esclarecer mal-entendidos, o Norte Livre entrevistou a veterinária Tatiana Batista da Silva. Ela é responsável pela equipe médica da clínica Império dos Bichos, localizada na Avenida Vilarinho, 5250, no Bairro Mantiqueira. Graduada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 2000, a profissional também se formou em duas pós-graduações no Instituto Qualittas: clínica médica e cirúrgica de pequenos animais e dermatologia de pequenos animais.

Veterinária Tatiana Batista dá dicas de como cuidar do seu amiguinho da maneira correta durante o inverno. Crédito: arquivo pessoal.
Veterinária Tatiana Batista dá dicas de como cuidar do seu amiguinho da maneira correta durante o inverno. Crédito: arquivo pessoal.

Norte Livre: Quais as principais dicas para manter os pets aquecidos durante o frio?

Tatiana Batista da Silva: Depende muito do ambiente em que o animal vive. Às vezes, é inviável pedir para colocar um pet de grande porte dentro de casa, sem contar que algumas pessoas não gostam de pôr animais em casa. O ideal é manter o animal longe do sereno e tomar cuidado com pisos frios, como cerâmica e granito. Para isso, é importante que o dono improvise um jornal ou papelão para o animal se proteger. As roupinhas também podem ajudar, desde que os animais não rejeitem o tecido. Se o animal aceitar, as blusas contribuem para proteger o tórax, justamente onde está o pulmão do animal.

Norte Livre: E quanto aos sapatinhos e roupas que protegem as pernas?

Tatiana Batista da Silva: Eu acho desnecessário. As pessoas compram esses acessórios para deixar o animal bonitinho, mas, na verdade, não há necessidade. Pode incomodar o pet.

Norte Livre: Quais os cuidados na hora do banho? Esquentar a água é recomendado?

Tatiana Batista da Silva: Amornar a água pode contribuir. O que não ajuda é a água quente demais, porque ela pode desidratar a pele. Não é bom nem para humanos. Se for dar o banho em casa, o ideal é que o dono escolha um horário do dia que tenha sol. Entre meio-dia e 14h é o mais interessante. Além disso, secar o animal após o banho é primordial. O maior erro cometido, geralmente, é manter o cão úmido após a higienização. Caso seja preciso usar um secador, tomar cuidado também com a temperatura. Quanto menos quente, melhor.

Norte Livre: Os donos se preocupam muito com as doenças durante o período. Quais as mais comuns?

Tatiana Batista da Silva: A inseminação do vírus da gripe, por via aérea, é bastante comum nessa época do ano. Por isso, se indica a aplicação da vacina da gripe, injetável ou intranasal. A primeira serve para cães mais agitados e/ou bravos e se aplica em duas doses. Cada uma custa R$ 45 na minha clínica. Já a intranasal custa R$ 55 e se aplica em dose única nos pets de médio e pequeno porte. Mas, os donos também precisam se atentar quanto ao cartão de vacina, pois a resistência dos bichos pode diminuir no frio. Não adianta aquecer o animal se ele estiver vulnerável a outras doenças. Doenças articulares nos joelhos, colunas, quadris e ombros também são comuns nos animais mais idosos ou maiores.

Norte Livre: E como saber que meu animal está doente?

Tatiana Batista da Silva: Os cães são mais fáceis de detectar, pois eles diminuem o apetite e ficam mais quietos. Se o animal para de interagir, melhor procurar um veterinário. Já os gatos são bem mais sensíveis. A manifestação dos sintomas pode ser tardia. Se ele ficar quieto e diminuir a alimentação, pode ser tarde demais. O ideal é fazer acompanhamentos periódicos independentes dos sinais.

Norte Livre: Dar mais ração para criar uma maior camada de gordura é indicado?

Tatiana Batista da Silva: De maneira nenhuma. Supernutrição gera obesidade, por isso essa alternativa não é interessante. Causaria danos muito piores ao animal.

Norte Livre: Qual o melhor horário para passear?

Tatiana Batista da Silva: No inverno, o ideal é evitar horários de sereno, geralmente muito cedo ou muito tarde prejudica o pet. A gente esquece que os animais, diferentes da gente, não estão cheios de roupas pelo corpo. É um erro muito comum.

Veja 10 dicas para proteger seu pet do frio

1. Diminuir a quantidade de banhos

puppy-1022421_1280 – Fonte – Pixabay

2. Passear somente entre 9h e 17h, para fugir dos horários mais frios

Fonte – Pixabay – dog-3226922_1280

3. Usar papelão ou jornal para que o animal não entre em contato com pisos frios

Fonte – pixabay – dog-660505_1280

4. Manter cartão de vacina atualizado

Fonte – FLICKR AGENCIA BRASILIA – Foto Andre BorgesAgência Brasília

5. Aplicar vacina da gripe

Vacina_caes_gatos_df_Agencia_Brasil_EBC

6. Comprar roupas que protegem apenas o tórax do pet; patas devem ficar livres

Fonte – PXHERE – dog_maltese_white_sweet_cute_small_young_dog_small_dog-663966

7. Ficar atento aos sintomas de doenças, como desânimo e diminuição do apetite do animal

Fonte – Pixabay – boxer-dog-1136957_1280

8. Se possível, colocar animal dentro de casa e longe das correntes de ar

Fonte – PXHERE – cat_pet_animal_sleeping_resting_heat_sunshine_feline-1163758

9. Não aumentar a quantidade de ração; camada de gordura cria outro problema para a saúde do pet

Fonte – Pixabay – cat-1196331_1280

10. Amornar água para higienização; tomar cuidado com temperaturas elevadas demais, pois desidratam a pele

Fonte – Pixabay – dog-237192_1280

 


 

Curta e compartilhe nas redes sociais
3117Shares