Imagem de divulgação
Imagem de divulgação
Advertisement

Neste domingo (28), a partir das 19h, a 2ª edição do Circuito Cinematográfico de Periferia (2º CCP) passará por Venda Nova, no Bairro Maria Helena, com a exibição de filmes ao ar livre, pipoca e guaraná de graça. A estrutura montada pelos coordenadores do projeto conta com um telão, equipamentos de som e reprodução e cerca de 100 cadeiras.

Na data, os espectadores poderão apreciar os curtas-metragens “Teoria de um Planeta Estranho” (Marco Antônio Pereira), “Abudção” (Marcelo Lin) e “Ilha das Flores” (Jorge Furtado), que, neste ano, foi eleito o melhor curta brasileiro da história pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Antes das exibições, acontecerão apresentações artísticas.


Você é de Venda Nova?

Morador(a) de Venda Nova, fique por dentro de notícias exclusivas e específicas da regional. Clique no botão ao lado/abaixo e siga o Jornal Norte Livre nas redes sociais.


O intuito do CCP é gerar para moradores das periferias da Região Metropolitana de Belo Horizonte espaços de circulação da cultura audiovisual. A iniciativa estimula a convivência criativa entre jovens artistas, coletivos e entidades sócio-culturais, além de dar visibilidade a profissionais do cinema nacional.

Também, para alicerçar produtores independentes de cinema nas periferias por onde passam, o CCP ministra oficinas escolhidas pelo público por meio de enquetes. Em Venda Nova, entre os dias 15 e 19, no Centro Cultural de Venda Nova (CCVN), o grupo deu aulas de “Edição e Montagem Audiovisual” a 20 alunos, selecionados entre 44 inscritos.

Todas as atividades são promovidas pela ONG Contato, via Contato Filmes, que há mais de 17 anos realiza projetos audiovisuais para promoção e fortalecimento das atividades do segmento. São usados como norteadores a inclusão social e sustentabilidade.

Fernando Libanio, coordenador de produção do CCP, explica que Venda Nova foi uma das regionais escolhidas por conter parceiros como Oderval Júnior — responsável pelo projeto Noite de Cinema.

“Em todos locais que atuamos, nos aliamos a entidades e produtores culturais da região. Venda Nova é um território em que o Oderval trabalha e, como parceiro, nos auxilia articulando o público e materiais”,

diz Libanio.

No ano passado, a primeira edição do CCP teve sete exibições e recebeu, em média, entre 100 e 150 pessoas por sessão de cinema ao ar livre. Neste ano, a meta é superar o público anterior e plantar mudas de árvores nas regionais acolhedoras do projeto.

1º Circuito Cinematográfico de Periferia

Serviço

  • Local: Rua Mato Grosso, 44, Bairro Maria Helena – Venda Nova/BH (coletivo Casa dos Livros)
  • Data: 28 de julho de 2019
  • Horário: 19h
  • Contato: Noir Comunicação Total – (31) 3297-1014/angela@noir.com.br
  • Evento gratuito com distribuição de pipoca e guaraná.

Programação

  • Oficina Lagoinha: 26 a 30/08
  • Exibição Lagoinha:  31/08
  • Oficina Contagem Arturos: 09 a 13/09
  • Exibição Contagem Arturos: 13/09
  • Oficina Barragem Santa Lúcia: 07 a 11/10
  • Exibição Barragem Santa Lúcia: 12/10
  • Oficina Alto Vera Cruz: 04 a 08/11
  • Exibição Alto Vera Cruz: 09/11
  • Oficina Nova Lima: 18 a 22/11
  • Exibição Nova Lima: 23/11

Patrocínio e parcerias

  • CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais)
  • COPASA (Companhia de Saneamento de Minas Gerais)
  • BAUMINAS (Mineradora e Bioquímica)
  • Parceira institucional ICLEI (Local Governments for Sustainability).

Todas estas empresas buscarão apoiar a iniciativa junto aos seus departamentos de comunicação e sustentabilidade ambiental. Projeto realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.


Leia também


Curta e compartilhe nas redes sociais
174Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D. "Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo