Emei Mantiqueira, interditada nesta terça-feira para desinfecção - Imagem: Google
Emei Mantiqueira, interditada nesta terça-feira para desinfecção - Imagem: Google
Advertisement

Menos de 15 dias após a primeira suspeita de sarampo em Belo Horizonte e Venda Nova chegou ao topo da lista de casos investigados — oito ao todo. Desde o último sábado (31), a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) precisou intervir mais quatro vezes na região a fim de executar medidas profiláticas para evitar transmissões. Agora, uma Escola Municipal de Educação Infantil (Emei Mantiqueira), situada na Rua Aramita Francisca dos Santos, 86, Bairro Mantiqueira, foi interditada para fazer a desinfecção do ambiente escolar.


Você é de Venda Nova?

Morador(a) de Venda Nova, fique por dentro de notícias exclusivas e específicas da regional. Clique no botão ao lado/abaixo e siga o Jornal Norte Livre nas redes sociais.


Até o momento, a Unidade de Pronto-Atendimento de Venda Nova (Upa Venda Nova) já suspendeu três vezes os serviços, enquanto outros quatro equipamentos de saúde da regional também tiveram atividades pausadas por causa das suspeitas de sarampo. O primeiro caso investigado, que pode ser autóctone (contraído na própria região), apareceu no Centro de Saúde Lagoa, localizado no Bairro Lagoa.

Entre os novos equipamentos que apresentaram suspeitas estão o Centro de Saúde Jardim Comerciários (Bairro Jardim Comerciários) e o Centro de Saúde Alameda dos Ipês (Bairro Santa Mônica).

De acordo com a SMSA, “as medidas de bloqueio vacinal e desinfecção das unidades têm caráter preventivo e são executadas diante de uma suspeita de diagnóstico do sarampo. (…) A suspensão temporária no atendimento, diante de um caso suspeito de sarampo, dura em média duas horas”.

Contudo, na semana passada, pessoas que aguardavam atendimento no Centro de Saúde Nova York ficaram retidas por, aproximadamente, quatro horas até que o local passasse pelo protocolo preventivo da SMSA.

Na educação

A Secretaria Municipal de Educação (SMED) confirmou a suspensão dos serviços no local. Segue abaixo o número de intervenções feitas pela SMSA a partir das suspeitas de sarampo em Belo Horizonte:

  • Venda Nova (8 suspeitas): Centro de Saúde Lagoa, UPA Venda Nova (3 casos) e Centro de Saúde Nova York, Centro de Saúde Jardim dos Comerciários e Centro de Saúde Alameda dos Ipês, Emei Mantiqueira
  • Centro-sul (5 suspeitas): UPA Centro-Sul (2 casos), Centro de Saúde Cafezal e Centro de Saúde Osvaldo Cruz, Centro de Saúde Carlos Chagas
  • Norte (5 suspeitas): Centro de Saúde Felicidade I, Centro de Saúde Felicidade II, Centro de Saúde Jaqueline II e UPA Norte (2 casos)
  • Leste (5 suspeitas): Centro de Saúde São Geraldo, UPA Leste (2 casos), Centro de Saúde Nossa Senhora Aparecida (Novo São Lucas), Centro de Saúde Paraíso
  • Nordeste (4 suspeitas): Centro de Saúde Dom Joaquim, UPA Nordeste (3 casos)
  • Noroeste (2 suspeitas): Centro de Saúde Califórnia, Centro de Saúde Marcelo Pontel
  • Oeste (2 suspeitas): Centro de Saúde Havaí, Centro de Saúde Waldomiro Lobo (Gutierrez)
  • Pampulha: Upa Pampulha
  • Barreiro: Centro de Saúde Tirol

Segundo último boletim epidemiológico (31/08) da Secretaria Estadual de Saúde (Ses), “desde o início de 2019 foram notificados 249 casos suspeitos de sarampo provenientes de 92 municípios no estado de Minas Gerais. Destes, 167 foram descartados, 78 estão sob investigação e 4 casos foram confirmados”.

EM TEMPO: posicionamento da Secretaria Municipal de Educação

“As atividades da Escola Municipal de Educação Infantil – EMEI Mantiqueira foram suspensas, nesta terça-feira, 3, devido à ocorrência de um caso de suspeito de sarampo.

Na segunda-feira, uma aluna de 2 anos de idade, frequentou a aula normalmente pela manhã e, segundo relato da mãe, em casa, começou apresentar os sintomas e foi levada a uma unidade de saúde onde foi confirmada a suspeita de sarampo. No final do dia, a mãe da criança informou a escola que, imediatamente, avisou aos outros pais que as aulas seriam suspensas no dia seguinte.

A situação vacinal dos alunos e trabalhadores que frequentam o mesmo turno da criança e possam ter tido contato com a mesma será verificada. A verificação da situação vacinal se dá por meio de prontuário eletrônico.

Quem não estiver com o esquema vacinal completo, será informado para procurar uma unidade de saúde e receber a vacina.”


Leia mais


Curta e compartilhe nas redes sociais
251Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D. "Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo