barreto-la-wikimedia-commons-escorpiao-amarelo
Escorpião-amarelo é o mais comum encontrado em perímetros urbanos. Foto: Barreto, L.A./Wikimedia Commons.
Advertisement

Por Gabriel Ronan

Uma das sedes da Regional da Prefeitura de Belo Horizonte em Venda Nova, sediada na Rua Padre Pedro Pinto, 1055, convive com uma infestação de escorpiões.

Por se tratar de um local com maior circulação de pessoas, um ofício, por parte do vereador Pedro Bueno (Pode), foi protocolado em abril e está em trâmite para que a Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) relate as limitações ao Executivo.


Leia também

No último dia 13, uma audiência pública discutiu o problema com o Humberto P. de Abreu Júnior, coordenador de atendimento da Regional Venda Nova, Maria A. G. Silva, gerente de zoonoses de Venda Nova (GERZO-VN), Vinicius Dutra Fonseca, gerente de assistência, epidemiologia e regulação Venda Nova (GAERE-VN) e outros envolvidos com o assunto.

Na ocasião, de acordo com a Câmara Municipal, o político afirmou que a “demanda partiu de moradores, trabalhadores e servidores da própria Administração Regional“.

Procurada pela reportagem, a GERCZO-VN afirmou que realizou uma palestra com os servidores da Regional há três meses para orientá-los. O encontro teve a participação de biólogos e veterinários da prefeitura.

No evento, foi destacado o papel fundamental da população para diminuir a proliferação dos animais e evitar o acúmulo de entulhos e objetos sem uso, que podem virar criadouros. Outra medida eficiente se dá na vedação de portas e janelas, para dificultar a entrada dos escorpiões.

A GERCZO-VN também ressaltou que a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) não aplica venenos nos locais de infestações por recomendações do Ministério da Saúde. A justificativa vem dos possíveis danos trazidos ao meio ambiente pelo tratamento químico.

Mais uma explicação para a não utilização de venenos é a efetividade desses compostos. De acordo com técnicos da Zoonose, os venenos apenas desalojam os animais e eles migram para outras localidades. Dessa maneira, o problema apenas muda de lugar.

Apesar dos pedidos de informação feitos à GERCZO-VN sobre a quantidade de animais apreendidos, não houve resposta do setor.

Prejuízos e contatos

Desde o início dos relatos de escorpiões na regional Venda Nova, alguns animais foram recolhidos pelos 140 agentes que trabalham contra animais peçonhentos em toda região. Após a coleta, os bichos ficam a cargo da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

A picada do escorpião causa tontura, náuseas, formigamento, intensa dor no membro afetado, agitação, sonolência etc. O veneno pode, inclusive, ocasionar em mortes. Os óbitos são provocados, geralmente, por alterações respiratórias e aumento de fluidos no pulmão.

Em caso de dúvidas, denúncias ou sugestões, o cidadão pode fazer contato com a central da Gerência de Controle de Zoonoses pelo número 156. Outro contato se dá pelo Sistema Informatizado de Atendimento ao Cidadão (Sacweb).

Em ambos os casos, deve-se informar o endereço correto onde deverá ser realizado o serviço; melhor horário para atendimento do técnico; nome do cidadão demandante e seu telefone; e, em casos de acidente, a data e o local do atendimento à vítima.

Curta e compartilhe nas redes sociais
45Shares