Humberto de Abreu Junior confirma data para retorno aos moradores - Foto - William Araujo
Humberto de Abreu Junior confirma data para retorno aos moradores - Foto - William Araujo
Advertisement

Por William Araújo

Após aguardar alguns anos pela movimentação da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) com respeito ao descarte clandestino de lixo recorrente na Rua Coronel Manuel Assunção, mais conhecida como “Curva da Banana”, no Bairro Minas Caixa, Venda Nova, moradores veem uma luz no fim do túnel. Em reunião ocorrida no dia 28 de agosto, entre o Coordenador da Regional, Humberto P. de Abreu Junior, e o Secretário de Obras e Infraestrutura de Belo Horizonte, Josué Valadão, foi acordada a implantação no local da Unidade de Recolhimento de Pequenos Volumes (URPV) Edgard Torres, da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU).

Por meio de nota, a assessoria de imprensa, na figura de Humberto, respondeu:

A SMOBI assumiu que dará prosseguimento ao processo de desapropriação e implantação do empreendimento. À Regional Venda Nova, ficará a responsabilidade de um condicionante ambiental, que é o plantio de árvores.

Com o equipamento público, o lixo será direcionado para locais corretos de descarte e o impacto sobre o córrego que está lateral à via será diminuído, de acordo com moradores.


Leia mais

Segundo o Coordenador da Regional, ainda existe a necessidade de desapropriação do local, o que, seguindo normalmente em trâmites jurídicos, levaria em torno de seis meses. Em seguida, as obras de construção da URPV precisariam de 120 dias para serem concluídas. Portanto, é previsto que as demandas sejam completamente atendidas no primeiro semestre de 2019.

Entenda

Em julho deste ano, a associação de moradores do Bairro Minas Caixa se reuniu com o Coordenador da Regional, líderes do Conselho de Segurança Pública de Venda Nova (Consep 14), a equipe de reportagem Norte Livre e o gerente da SLU, Clarício T. Aguiar, na Rua Coronel Manuel Assunção para demonstrar os problemas enfrentados pela comunidade com o descarte clandestino de lixo no local.

Moradores ouvem Shester Lane sobre os problemas da via - Minas Caixa - Foto - William Araújo
Moradores ouvem Shester Lane sobre os problemas da via – Minas Caixa – Foto – William Araújo

 

Na ocasião, os moradores informaram que o projeto da via estava incluso no Empreendimento 120 do Orçamento Participativo 1999/2000. Entretanto, por motivos de desapropriação de alguns residentes, as obras ficaram paradas até que o decreto 12.605 fosse promulgado pela PBH. Em seguida, o OP se estendeu a outra iniciativa, de número 133, de 2001/2002, que fez a construção de áreas de lazer e urbanização do local.

Contudo, como os problemas não acabaram, os moradores, novamente, lutaram por outro empreendimento, número 116, do OP 2005/2006. Em 2017, com valores já aprovados e em torno de R$ 730 mil, ele previa a implantação da URPV na via.

Agora, após o Coordenador da Regional ter se reunido com o Secretário de Obras e Infraestrutura de Belo Horizonte, as obras serão retomadas e a URPV Edgard Torres sairá do papel.

Curta e compartilhe nas redes sociais
5Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH, Bolsista PCCT na Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig)/Minas Faz Ciência, ilustrador, cartunista, videomaker, desenvolvedor web, jornalista editor no Jornal Norte Livre - parceiro hiperlocal do Portal Uai - com passagem pelo Jornal Daqui BH, conteudista, SEO (Search Engine Optimization), fotógrafo, animador 2D.