Serviços de limpeza começam no córrego Marimbondo - 2018 - Foto - William Araújo - Norte Livre-1
Serviços de limpeza começam no córrego Marimbondo - 2018 - Foto - William Araújo - Norte Livre-1
Advertisement

Por William Araújo

Após vencimento do prazo para começo das obras de demolição das casas no entorno do córrego Marimbondo, no bairro Santa Mônica, em Venda Nova, Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) se manifesta e define nova data limite para início das operações.

Em nota:

A Prefeitura informa, por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), que o serviço de demolição dos imóveis desapropriados para as obras de prevenção de enchentes no Córrego do Nado, situados na Rua José Maria Botelho e na Rua Rui Barbosa, está previsto para ser iniciado na primeira quinzena de maio.

 

Ainda nesta manhã, Clarício de Aguiar, representante da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), informou que os serviços de poda, capina e limpeza do leito e margens do córrego Marimbondo iniciaram na presente data, pela rua Lírica.

Serviço de limpeza começam no córrego Marimbondo - Foto - William Araújo - Norte Livre- 2018
Serviço de limpeza começam no córrego Marimbondo – Foto – William Araújo – Norte Livre- 2018

“A ideia é recolher tudo o que possa trazer algum perigo à população local. Só não temos como fazer a remoção de entulho pesado, mas o que é lixo, volumosos… isso aí nós estaremos fazendo a limpeza, inclusive, dentro das residências, nas quais serão feitas as demolições”, afirma Clarício.

Questionado sobre a periodicidade dos serviços, o representante disse que a SLU realiza o trabalho de limpeza dos córregos três vezes por ano, mas por causa das chuvas a regional passou por um período considerado atípico.


Saiba mais

O mato alastrou e cresceu mais do que habitualmente, por isso a poda e capina não duraram os dois meses previstos.

Clarício ainda informou que a SLU fará a operação de limpeza do córrego Lareira, possivelmente, entre a segunda quinzena de junho e primeira quinzena de julho.

A equipe de reportagem esteve no bairro Santa Mônica, no endereço apontado pelo representante e constatou que a limpeza começou.

Outro caso de invasão

Senhor Aliomar observa obras de limpeza no córrego Marimbondo - Foto - William Araújo - Norte Livre-8-2018
Senhor Aliomar observa obras de limpeza no córrego Marimbondo – Foto – William Araújo – Norte Livre-8-2018

Morador da região no entorno do córrego Marimbondo há mais de 40 anos, o senhor Aliomar S.Franco contou como teve a residência invadida durante a luz do dia, em dezembro de 2017.

Segundo Aliomar, sete suspeitos aguardaram que a família saísse da casa. Quando tiveram oportunidade, um deles pulou o muro e abriu o portão para que os outros entrassem.

O morador, que é autônomo e trabalha com cobertura de lojas, teve uma bicicleta e a oficina saqueadas. Aliomar só ficou sabendo o modo como ocorreu a invasão porque uma vizinha, que tem sistema de câmeras na fachada da casa, capturou a imagem da ação dos suspeitos.

De acordo com Aliomar, o boletim de ocorrência foi registrado e as imagens levadas para delegacia de polícia civil da Pampulha, mas não houve resultados.

A mata ao redor do córrego não está cercada e suspeitos entram e saem quando querem, fazendo do lugar uma rota para invasão e fuga, diz o morador.

Image Not Found.

O que já aconteceu

Em março, moradores do bairro Santa Mônica procuraram o Norte Livre para informar a situação de instabilidade que estão passando no entorno do córrego Marimbondo. Com a promessa do projeto de revitalização da bacia hidrográfica, a PBH desapropriou casas nas margens do curso d`água e retirou as portas e janelas.

Além dos escombros que sobraram das remoções, os imóveis ficaram sujeitos a pessoas mal-intencionadas, que utilizam o lugar para prática ilícita ou, até mesmo, para morar.

Representantes da PBH e da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) estiveram no local no dia 12 de abril. Durante a visita técnica, a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (SMOBI), na figura do engenheiro Farid Salles, prometeu aos moradores presentes que as obras para demolição das casas começariam em até oito dias a partir daquela data.

O prazo não foi cumprido. Treze dias após a promessa (ontem) o Norte Livre noticiou como moradores do entorno de outro córrego – o Lareira, no bairro São João Batista, que também faz parte do plano de revitalização – estão sofrendo com animais peçonhentos, invasões de casas, furtos e usuários de drogas no local.

Menos de 24h após publicação, a PBH se posicionou.

 


 

Curta e compartilhe nas redes sociais
19Shares