Divulgação/CBMMG - Incêndio ocorrido no dia 15 de agosto de 2018 - Parque Estadual Serra Verde
Divulgação/CBMMG - Incêndio ocorrido no dia 15 de agosto de 2018 - Parque Estadual Serra Verde
Advertisement

Por William Araújo

Nesta quarta-feira (15), no início da tarde, moradores de Venda Nova, no entorno do Parque Estadual Serra Verde, novamente tiveram problemas com incêndio na unidade de preservação. Desta vez, as chamas foram tão fortes que muitos outros bairros em toda Regional puderam presenciar a altura e quantidade de fumaça que saia do local.


Leia também

No inverno, a cidade enfrenta, como em todo Estado de Minas Gerais, problemas com o tempo seco, o que propicia o alastramento de focos de fogo nas matas. Entre os parques mais afetados e próximos à capital, está o Serra Verde, que fica na Regional Venda Nova e tem 142,02 hectares (ha). Em 2017, a unidade de conservação sofreu com 24 ocorrências de incêndios florestais, que causaram danos a cerca de 29% (41,62) da vegetação.

Apesar da Cidade Administrativa de Minas Gerais ser vizinha do local, somente neste primeiro semestre de 2018, já aconteceram 13 focos de calor, excetuando o último ocorrido no dia 15. Esses incêndios florestais atingiram mais 5,12 hectares do Parque – menos do que em comparação ao mesmo período no ano anterior -, e não deixam de abrir discussões sobre os motivos para estarem se repetindo.

Veja abaixo vídeo do incêndio da quarta-feira, feito no Bairro Mantiqueira.

Contudo, as queimadas não ficam restritas apenas às áreas de conservação. Em Belo Horizonte e Região Metropolitana, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBM-MG), entre janeiro e junho de 2018 foram registradas 1012 ocorrências – cerca de 25% de todo o Estado.

Em resposta ao Jornal Norte Livre, a corporação afirmou que a ação humana é a causa de 99,9% dos incêndios florestais, e pessoas que provocam incêndios em vegetação, de maneira criminosa, estão passíveis de sanção. Por isso, para evitar que o número aumente, recomendam as seguintes posturas:

  • Não solte balões ou fogos de artifício perto de matas ou áreas rurais;
  • Não lance guimbas de cigarros acesos pelas janelas de veículos ou no chão em áreas rurais ou às margens de rodovias;
  • Evite o acúmulo de lixo em lotes vagos;
  • Ao realizar a capina de um lote vago, prefira ensacar os resíduos a realiza a queima destes;
  • Se acender uma fogueira, remova todas as folhas secas e faça um círculo com pedras ao redor do fogo.

Números

De acordo com dados parciais da Sisema, em toda Minas Gerais, neste ano, houve 104 registros de incêndios florestais em parques e unidades de conservação até o mês de julho; 711,25 hectares foram atingidos pelas chamas.

Para além dos parques estaduais, segundo Corpo de Bombeiros, entre janeiro e junho brigadistas atenderam a 4036 ocorrências de incêndios em vegetação.


 

Curta e compartilhe nas redes sociais
6Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH, Bolsista PCCT na Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig)/Minas Faz Ciência, ilustrador, cartunista, videomaker, desenvolvedor web, jornalista editor no Jornal Norte Livre - parceiro hiperlocal do Portal Uai - com passagem pelo Jornal Daqui BH, conteudista, SEO (Search Engine Optimization), fotógrafo, animador 2D.