Obras que podem trazer paz e colocar fim nas enchentes da Vilarinho devem ser licitadas em breve, segundo a Sudecap. Foto: divulgação/Corpo de Bombeiros.
Advertisement

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) visitou, nesse sábado (24), o Bairro Lagoa, em Venda Nova, ao lado do superintendente de Desenvolvimento da Capital, Henrique Castilho. Na ocasião, eles inauguraram, oficialmente, obras realizadas no Campo dos Ciganos, em região limítrofe ao Bairro Céu Azul. As autoridades pautaram, ainda, as obras de saneamento na Avenida Vilarinho.

Os representantes do Executivo municipal discutiram diversos assuntos, além de explicar as melhorias no Lagoa. As obras contra enchentes na Avenida Vilarinho, principal problema da regional, esteve na pauta.

Segundo Henrique Castilho, a licitação para o início das intervenções na Vilarinho deve sair até o fim de 2019. “Projetos estão prontos e agora estamos entrando na fase de documentação e de licenciamento ambiental. Vamos conversar com o prefeito nesta semana. Não é problema de dinheiro. A questão é realmente técnica porque é uma área muito específica, muito grande, na qual a gente trata a Bacia do Isidoro como um todo”, garantiu o representante da Sudecap. “Acreditamos que até o fim do ano a gente consiga já estar licitando essa obra”, concluiu.


Você é de Venda Nova?

Morador(a) de Venda Nova, fique por dentro de notícias exclusivas e específicas da regional. Clique no botão ao lado/abaixo e siga o Jornal Norte Livre nas redes sociais.


Quando o projeto foi apresentado, Comitê da Bacia Hidrográfica Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) criticou a prefeitura e classificou o trabalho como “faraônico”. Segundo o coletivo, haveria risco, inclusive, de transferência do problema da Vilarinho para o Córrego Floresta, na Região Norte da cidade.

Para o Floresta, serão levadas as águas de Venda Nova, por meio de dois túneis, conforme documento obtido pelo Jornal Norte Livre. Castilho, no entanto, rebate o comitê. “Com certeza, não vamos transferir a água que cai do lado de cá (Venda Nova) para o lado de lá (Região Norte)”, assegurou.

Campo dos Ciganos

Henrique Castilho, superintendente da Sudecap, e Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte, em visita a Venda Nova no último sábado (24). Foto: Adão Souza/PBH.
Henrique Castilho, superintendente da Sudecap, e Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte, em visita a Venda Nova no último sábado (24). Foto: Adão Souza/PBH.

Apesar de discutir outros assuntos, a agenda teve como principal objetivo apresentar obras realizadas no Campo dos Ciganos, no Bairro Lagoa. Na primeira etapa das obras foram executados a manutenção corretiva de alambrado, a implantação de canaleta e serviços de alvenaria.

Além do escopo inicial, também foram feitos trabalhos de paisagismo, drenagem e implantação de passeios nos acessos ao campo. Neste âmbito, a prefeitura gastou cerca de R$ 349,5 mil.


Leia também


Já a segunda fase foi concluída em agosto com investimentos no valor aproximado de R$ 59,5 mil. As obras finais foram de execução de passeio, meio fio, sarjeta, boca de lobo e extensão de rede de drenagem.

Houve, ainda, implantação de praça com plantio de grama. Uma mesa de jogos com bancos e estacionamento e acesso às ruas adjacentes também foram inaugurados. Nelas, a Sudecap asfaltou e regularizou o talude lateral com plantio de grama. Entre essas vias está a Rua Radialista José Baluarte, no Céu Azul.

Campo dos Ciganos, no Bairro Lagoa, ganhou nova cara. Foto: Thayná Almeida/PBH.
Campo dos Ciganos, no Bairro Lagoa, ganhou nova cara. Foto: Thayná Almeida/PBH.

Os recursos, que somam R$ 410 mil, vieram do Tesouro municipal. “Quando a gente faz um trabalho desse, a gente faz uma reunião antes com a comunidade para que eles possam dar continuidade ao trabalho que a gente está fazendo”, explicou Henrique Castilho.

Além de Henrique Castilho e Alexandre Kalil, a visita contou com as participações da primeira-dama Ana Laender, do coordenador de Atendimento Regional Venda Nova, Humberto Pereira de Abreu Júnior, e da presidente da Câmara de BH, Nely Aquino (PRTB).

Transporte público

Reajuste da passagem em BH ganhou novo capítulo e pode fazer população de BH, inclusive de Venda Nova, gastar mais para se locomover pela cidade. Foto: Adão Souza/PBH.
Reajuste da passagem em BH ganhou novo capítulo e pode fazer população de BH, inclusive de Venda Nova, gastar mais para se locomover pela cidade. Foto: Adão Souza/PBH.

O possível reajuste das tarifas de ônibus da capital mineira também esteve na pauta da visita a Venda Nova. Alexandre Kalil, contudo, garantiu que não haverá aumento se as empresas responsáveis pelos coletivos não contratarem agentes de bordo, os trocadores. A questão é assegurada pela legislação da capital mineira.

“Eu já disse, se não tiver trocador não tem aumento. Se tiver, a gente cumpre o contrato. Existe um contrato, o prefeito não dá aumento para ninguém. Isso não é prerrogativa do prefeito. É um contrato que foi feito há anos e anos atrás. Se descumpre o contrato de um lado, o prefeito se julga no direito de descumprir o contrato do outro”, afirmou Kalil.

Curta e compartilhe nas redes sociais
55Shares