Organizações renovam relação com trabalhador e querem se aproximar do funcionário. Flexibilidade no tempo, criatividade e melhor convívio entre chefe e empregado estão entre as evoluções. Foto: reprodução/Pixabay.
Organizações renovam relação com trabalhador e querem se aproximar do funcionário. Flexibilidade no tempo, criatividade e melhor convívio entre chefe e empregado estão entre as evoluções. Foto: reprodução/Pixabay.
Advertisement

Por Letícia Buchacra

A busca por uma trajetória profissional de sucesso se tornou um desafio na vida de muitas pessoas, especialmente na dos jovens. Deparar-se com a expressão “futuro promissor” pode ser assustador e, ao aprofundarmos nela, descobrimos novos significados.

Procurar por um “futuro promissor” já teve diversos sentidos, por exemplo, algumas décadas atrás, graduar-se em uma boa universidade; garantir uma vaga no curso em ascensão no mercado era o escolhido; estagiar em uma empresa sólida e tradicional; conseguir a efetivação com os benefícios trabalhistas adequados; fincar raízes e usufruir de uma aposentadoria segura, após anos construindo uma carreira eram características de um futuro promissor.

Provavelmente, conhecemos muitas pessoas que viveram essas etapas e construíram a carreira que desejavam. Entretanto, temos alguns pontos a serem esclarecidos. Vamos começar identificando as estruturas organizacionais presentes no contexto do jovem conservador de algumas décadas atrás.

Classificar organizações, modelos de gestão e culturas organizacionais é a base para entender o comportamento profissional das pessoas e, assim, compreender as ferramentas utilizadas por empresas para captar seu colaborador.


Leia também

Acreditamos estar na era moderna das coisas, muitos avanços tecnológicos, informações a todo instante e a gigantesca quantidade de canais para obtenção de conteúdo. Apesar disso tudo, estamos além da modernidade. As estruturas organizacionais das décadas anteriores são denominadas como modernas, pois, com as revoluções industriais, houve uma enorme ruptura na maneira de gerir negócios.

A necessidade de desenvolver metodologias gerenciais finalmente virou o foco do gestor, para que assim se crie um ambiente organizacional saudável, competitivo e que seja referência no seu setor produtivo.

Seu regime era baseado em sistemas burocráticos firmes, hierarquias praticamente imutáveis, relações estritamente profissionais e o objetivo era cumprir com suas obrigações, ou seja, atingir os melhores resultados estipulados por meio das metas.

Pensar no colaborador envolvia apenas aspectos essenciais para a realização de um trabalho de qualidade, sem motivações ou perspectivas de crescimento profissional. O aprendizado, além das atividades executadas, era algo distante.

A partir desse cenário, podemos traçar um perfil, identificando um profissional sem estímulos, inseguro, monótono e muito conservador. 

Após as diversas mudanças no cenário social caímos na era pós-moderna, na qual as organizações contemporâneas ou pós-modernas sucedem a de décadas atrás. A era da renovação nos apresenta a construção de importantes metodologias gerenciais, alterando os principais sistemas criados na organização moderna. O poder da flexibilidade com o tempo, acessibilidade entre colaboradores e gestores, criatividade total e a sensação de ter um elo com a empresa foram essenciais para desenhar o novo perfil do jovem profissional.

As novas estruturas são influenciadas por um setor em crescimento: o setor de serviços. Essa área busca transformar uma necessidade em produto. Mas não apenas isso, visa também maneiras diferenciadas de fidelizar o seu colaborador, de acordo com o seu propósito no mercado.

Conectando propósito com vontade de crescer, se desenvolvem profissionais talentosos, com diferentes habilidades, visionários e o mais importantes: capazes de criar conexão pessoal com o trabalho.

Compreender as estruturas contemporâneas é fundamental para diagnosticar o perfil profissional. Inserir a pessoa certa, no lugar ideal, vai desenvolver empresas e criar um ambiente organizacional coerente com o contexto social. Assim, ferramentas de qualidade vão contribuir continuamente para melhorias na vida de muitas pessoas.

Curta e compartilhe nas redes sociais
3Shares