Categoria profissional foi vencida pelo atleta Felipe Matos. Foto: Antônio Benvindo/Cidade dos Meninos.
Categoria profissional foi vencida pelo atleta Felipe Matos. Foto: Antônio Benvindo/Cidade dos Meninos.
Advertisement

A Neves Slack Cup – o Campeonato Brasileiro de Slackline – terminou com domínio dos atletas de Ribeirão das Neves. A programação contou com cinco categorias e seis esportistas da cidade premiados com lugares no pódio. O evento teve o apoio do Jornal Norte Livre e foi sediado na
Cidade dos Meninos (Rua Ari Teixeira da Costa, 1.500) no último fim de semana.

Na categoria iniciante, o pódio foi formado por dois atletas da Cidade dos Meninos: Kennedy Martins ficou com o 1º lugar, enquanto Paulo Henrique garantiu a terceira posição. Ambos são moradores de Neves e começaram a praticar o slackline em 2018, a partir de um projeto desenvolvido pelo campeão mundial do desporto – o professor Alisson Ferreira. O carioca Lucas Souza ficou com a 2ª posição. 

Entre as mulheres, o lugar mais alto do pódio ficou com a paulista Paolla Almeida, seguida pela conterrânea Raquel Nascimento. O 3º lugar também ficou com outra atleta treinada por Alisson, a nevense Laís Amaral. 

Foto: Antônio Benvindo/Cidade dos Meninos.

Amplo domínio mineiro. Assim pode ser definida a categoria amadora, na qual Vinícius Araújo, da Cidade dos Meninos, venceu o companheiro de treino Alex Rhayan na final. César Salomé, morador de Belo Horizonte, assegurou a 3ª colocação. 

Na corrida de fita, conhecida como speedline, Filipe Matos, habitante de Campinas (SP), bateu os concorrentes e foi o campeão. O morador da capital mineira, Arthur Martinez, e Hendley Santos, de Uberlândia (Triângulo Mineiro), completaram o pódio.

Quanto aos profissionais, a disputa ficou marcada pelo equilíbrio. Randley Freitas, de Campinas (SP) sagrou-se bi-campeão graças a uma diferença de apenas meio ponto na classificação final. Ele venceu Hendler Santos, que defendia o título conquistado em 2017. Samuel Brito, de BH, completou o pódio. O organizador do campeonato, o campeão mundial de slackline Alisson Ferreira, não competiu no módulo principal. 

A modalidade disputada no campeonato foi trickline, na qual o atleta pratica acrobacias em uma  fita suspensa. Como é a única com competições, a categoria tem uma federação internacional, a World Slackline Federation (WsFed).

Todos os atletas ganharam alojamento, alimentação e os serviços disponíveis no local do evento. Os valores para inscrição variaram entre R$ 30 e R$ 50. Quanto às premiações, os prêmios foram de R$ 50 a R$ 1 mil. A maior quantia pertenceu ao campeão da categoria profissional. Troféus e medalhas também foram distribuídos.

O evento teve patrocínio da Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo e da construtora MRV Engenharia. Além do Jornal Norte Livre, o Jornal Ribeirão das Neves Net, a TSA Design, o coletivo SemiFusa e o Sacolão Beleza apoiaram a iniciativa.

Curta e compartilhe nas redes sociais
0Shares