Lixo acumulado no leito do córrego da Rua Coronel Manuel Assunção - Curva da Banana - Foto - William Araújo - Norte Livre
Lixo acumulado no leito do córrego da Rua Coronel Manuel Assunção - Curva da Banana - Foto - William Araújo - Norte Livre
Advertisement

Por William Araújo

Em reunião ocorrida na tarde desta sexta-feira (13), na Rua Coronel Manuel Assunção – famosa “Curva da Banana” -, moradores do bairro Minas Caixa solicitaram ao poder público soluções para o problema do descarte clandestino de lixo nas margens do córrego que existe na via. Estiveram presentes membros da associação comunitária do bairro, Clarício T. de Aguiar (gerente regional de Limpeza Urbana de Venda Nova), Humberto P. de Abreu Júnior (coordenador de atendimento da Regional Venda Nova), representantes do Conselho de Segurança Pública 14 (Consep 14) e agentes de zoonoses.


Leia também

Segundo Shester Lane, Wanderley Cardoso, José Jorge Vieira (alcunha Jorge Cristo) e Humberto A. da Silva – membros da associação -, a questão do lixo na “Curva da Banana” é uma demanda antiga junto à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Conforme moradores, a área está incluída no Orçamento Participativo (OP) e deveria receber obras para urbanização das margens, implantação de um bosque, uma quadra poliesportiva e uma Unidade de Recebimento de Pequenos Volumes (URPV).

Curva da Banana - Google Street
Curva da Banana – Google Street

Para os membros da associação, a implantação de uma URPV seria a solução mais rápida para a situação. Entretanto, de acordo com o coordenador de atendimento da Regional, a área é, supostamente, uma propriedade particular e, por isso, há dificuldades para instalar o equipamento público.

Segundo Humberto P. de Abreu Júnior, será necessário, prioritariamente, recolher informações sobre o OP de Venda Nova para constatar a propriedade do terreno. “Sendo da PBH e não existindo nenhum empecilho a ser resolvido, levarei a demanda para ser discutida com o prefeito”, disse o coordenador.

Clarício Aguiar e Humberto de Abreu explicam o problema a moradores - Foto - William Araújo - Norte Livre
Clarício Aguiar e Humberto de Abreu explicam o problema a moradores – Foto – William Araújo – Norte Livre

Contudo, cansados de esperar, os moradores informaram que à época participaram da escolha do Empreendimento 120 do OP 1999/2000, que previa essa urbanização das margens do córrego. Naquele período, a obra ficou parada por causa das famílias que residiam na área e precisavam ser retiradas.

Em janeiro de 2007, a PBH publicou o decreto 12.605, que determinava a desapropriação das casas que estavam no entorno do córrego e impediam a continuidade projeto. Em seguida, para concluir as construções, foi aberto o Empreendimento número 133, concluído em fevereiro do mesmo ano.

Esse último funcionou como prosseguimento do anterior e implementou no local uma área de lazer, com quadra poliesportiva, pisos cimentados e paisagismo. Porém, isso não resolveu o problema do descarte clandestino de resíduos.

Foto de divulgação/ PBH - 2007 - op 2001 vn emp 133
Foto de divulgação/ PBH – 2007 – op 2001 vn emp 133

De acordo com Wanderley Cardoso, que participou como relator na Gestão Compartilhada 2017, o próximo passo, com valor total já aprovado (R$ 730.820,00), seria o Empreendimento 116 do OP 2005/2006 (linha 2304), no qual está prevista a construção da URPV como complemento às obras. Essa etapa está paralisada apenas para adequações do projeto pela Superintendência de Limpeza Urbana (SLU).

Imagem enviada por Wanderley Cardoso - Obras aprovadas e andamento
Imagem enviada por Wanderley Cardoso – Obras aprovadas e andamento

Diante das demandas, o coordenador de atendimento pediu o prazo de uma semana (até o dia 20 de julho) para reunir as informações e dar retorno sobre o próximo passo a ser seguido.

Um problema somado à falta de educação

Além da luta pela conscientização dos moradores promovida pela associação, a SLU tem limpado o local três vezes por semana. Todavia, o acúmulo de lixo parece não diminuir.

Segundo Clarício T. de Aguiar, há poucos dias, durante uma semana, foi destacado um fiscal para vigiar o área e cinco pessoas foram multadas. Contudo, quando o agente tentou advertir um morador pego em flagrante, sofreu ameaças à vida e precisou ir embora.

Os próprios moradores reclamaram da atuação dos carroceiros e vizinhos, que não respeitam os pedidos de cuidado com a área. Enquanto a reunião ocorria, um homem parou o veículo na pista lateral, desceu do carro com um saco de lixo e depositou nas margens do córrego.

O gerente da SLU prometeu continuar a fazer intervenções e realizar, na segunda quinzena de agosto, nova limpeza no leito do fluxo d`água, mas admitiu que o problema somente será resolvido ou amenizado  quando for implementada a URPV.

Curta e compartilhe nas redes sociais
37Shares