Professores e alunos vencedores na indicação de melhor diretor e curta-metragem - Foto - William Araújo
Professores e alunos vencedores na indicação de melhor diretor e curta-metragem - Foto - William Araújo
Advertisement

Por William Araújo

Na última sexta-feira (14), durante a manhã, a Escola Estadual Professora Maria Muzzi Guastaferro finalizou o projeto de Curtas Muzzi em um grande evento ocorrido na “Quadras do Vilarinho” (Rua Cascalheira, 138, Venda Nova). A iniciativa, que agregou conhecimentos enquanto reeducou alunos a usarem smartphones para o aprendizado, foi coordenada pelo professor César Carlos da Cruz.


Leia também

Na proposta, alunos escolheram um assunto a ser trabalhado em audiovisual, optaram por um gênero, sendo webdocumentários, dramas, comédias e outros, criaram um roteiro e aprenderam a usar as ferramentas que tinham as mãos para produzir e editar o conteúdo. Em torno de 700 alunos participaram do projeto e foram ao evento.

Como desfecho, uma solenidade inspirada na cerimônia do Oscar foi arquitetada. Houve desde de apresentadores (Gasperim e Marlete), que listaram as indicações em língua estrangeira inglês, com tradução em tempo real, até shows musicais e de dança.

Pessoas que assistiram a solenidade de entrega dos prêmios - Foto - William Araújo
Pessoas que assistiram a solenidade de entrega dos prêmios – Foto – William Araújo

Entre os grupos de performance estavam as alunas do professor Henrique Moreira e a equipe de street danceBlack Wings”. As apresentações musicais foram executadas por um dueto de piano digital e flauta transversal.

De acordo com a diretora da Escola, Janete Procópio, os resultados superaram as expectativas.

“Todo trabalho transdisciplinar, que perpassa por toda as áreas, sempre traz excelentes resultados. Envolver todos no processo não foi tarefa fácil, mas a união da equipe fez a diferença.
O projeto teve a finalidade de romper com o espaço escolar tradicional, oferecendo ao aluno a oportunidade de utilizar locais alternativos, além da prática de enfrentar a complexidade da vida, experimentando atitudes de cooperação, solidariedade, respeito mútuo,  pesquisa e entrosamento dos grupos.
Os temas do projeto relacionaram questões éticas, estéticas, de games, edição de vídeos, discussões ao ar livre, produções artísticas, entre outros. As aptidões requeridas não eram as mesmas do dia-a-dia escolar, os alunos puderam experimentar, refazer e inventar”, diz a diretora Janete.

 

Alunos exibem prêmio - Foto William Araújo
Alunos exibem prêmio – Foto William Araújo

As categorias e os curtas-metragens vencedores foram:

  • Melhor Curta-metragem – Corruption: the evil of the century
  • Melhor Diretor – Thiago Mangabeira (Corruption: the evil of the century)
  • Melhor Roteiro – Um passado que não passa
  • Melhor Curta-metragem em língua estrangeira – The last feeling of fear
  • Melhor Ator – Iago Gabriel dos Santos
  • Melhor Atriz – Camila Souza
  • Melhor Ator/Atriz Coadjuvante – Mislene Coimbra
  • Melhor Documentário – Estereótipos
  • Menção Honrosa – Um dia qualquer

O nome do prêmio foi “Oscar Vivência de Cinema”. Vencedor em duas categorias, Thiago Mangabeira, de 18 anos de idade, disse que o trabalho serviu para abrir muitas portas de criatividade dos alunos”. O diretor entusiasta pretende cursar cinema e ou publicidade e disse que o mais complicado na produção foi o curto período de tempo.

Veja aqui o vídeo dos vencedores de melhor curta-metragem.

O proponente e coordenador da iniciativa, professor César, declarou ao fim da cerimônia que apesar das dificuldades, foi possível concluir o projeto e culminar no evento. Além disso, fez agradecimento especial aos alunos, professores, ao vice-diretor Elbert Fagundes e supervisoras Mércia Ávila e Regina Fernandes pela cooperação. Alguns alunos também agradeceram a participação e disseram aguardar ansiosos pela próxima oportunidade.

 

Curta e compartilhe nas redes sociais
362Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH, Bolsista PCCT na Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig)/Minas Faz Ciência, ilustrador, cartunista, videomaker, desenvolvedor web, jornalista editor no Jornal Norte Livre - parceiro hiperlocal do Portal Uai - com passagem pelo Jornal Daqui BH, conteudista, SEO (Search Engine Optimization), fotógrafo, animador 2D.