Advertisement

Nesta terça-feira (12), durante o período da manhã, na agência da Companhia Energética de Minas Gerais S.A (Cemig) em Venda Nova, moradores da regional e outros cidadãos perderam a paciência. De acordo com pessoas que aguardavam em pé para retirada da senha de atendimento, o local está sempre cheio e, em média, são necessárias 2h para resolver qualquer problema nos guichês presenciais.

A reportagem, que estava no local e entrou na fila às 10h40, conseguiu ser atendida presencialmente por volta das 12h10, aguardando em torno de 1h05 somente para pegar a senha e 25 minutos para ser recebida nos guichês.

Durante esse tempo, idosos, mães com crianças no colo e mulheres grávidas apareceram e foram atendidos rapidamente. Entretanto, o problema era que o mesmo atendente para o serviço prioritário também era responsável pela fila comum, que se estendia até o lado de fora da agência.

Por mais de uma vez diante dessa situação, o empresário Márcio C. Oliveira perdeu a paciência e começou a reclamar alto com os funcionários da Cemig que estavam transitando pelos corredores. O segurança foi chamado para conter os ânimos do cidadão, mas não precisou sequer agir, pois o próprio empresário se acalmou.

Segundo Márcio, o problema que tentava resolver era uma religação de energia. No primeiro dia em que compareceu à agência, encontrou a fila com, aproximadamente, 50 pessoas aguardando para pegar senhas e esperou mais de 2h. A fila saía da Cemig e se estendia pela rua. No dia seguinte, retornou com a documentação e, novamente, precisou aguardar muito.

Fila na Cemig Venda Nova - Foto - William AraújoFila na Cemig Venda Nova - Foto - William Araújo
Fila na Cemig Venda Nova – Foto – William Araújo

A Cemig foi questionada pela reportagem sobre o ocorrido e emitiu a seguinte nota:

Hoje houve um mutirão de cortes por inadimplência na região de Santa Luzia, cerca de duas mil execuções de cortes, o que causou um aumento considerável de pedidos de religação no posto de atendimento lá de Santa Luzia, que, naturalmente, não comportou a demanda.

Por causa disso, as pessoas se deslocaram para a agência Venda Nova, que também registrou um aumento muito grande na sua demanda normal. Isso causou uma espera maior nas filas de atendimento.

Apesar disso, todos os clientes que procuraram a agência foram atendidos.

Portanto, tratou-se de uma situação atípica e não corriqueira da referida agência.” Henry Bernardo, assessor de imprensa da Cemig.

A questão está diretamente ligada ao Código do Consumidor, por isso, a reportagem também procurou informações com um especialista em direito do consumidor, que respondeu:

“A Cemig é uma empresa prestadora de serviços nos termos do art. 3º do Código de Defesa do Consumidor. O art. 6º do referido código, que define quais são os direitos básicos do consumidor, menciona em seu 10º inciso ser dele “a adequada e eficaz prestação dos serviços públicos em geral”.

O bom, pontual e eficaz atendimento ao cliente torna-se uma obrigação do prestador de serviços. Caso contrário, o mesmo poderá, por ação do consumidor, sofrer medidas judiciais cabíveis.

Neste caso, das imensas e demoradas filas, é caracterizada como como prestação defeituosa dos serviços”, disse o advogado especialista em direito do consumidor Cléber de Souza Oliveira, OAB – 109660.

Curta e compartilhe nas redes sociais
22Shares
Jornalista graduado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte — UniBH (2017), jornalista editor no Jornal Norte Livre com passagem pelo Jornal Daqui BH, ambos parceiros hiperlocais do Portal Uai/Diários Associados. Professor e sócio na empresa "Quando - Fábrica de narrativas", conteudista, SEO (Search Engine Optimization), videomaker, fotógrafo e entusiasta como ilustrador, desenvolvedor web e animador 2D. "Os livros são o templo do jornalista, mas é nas ruas que ele congrega". Will Araújo