Estrada Velha de Venda Nova - 1946 - Acervo pessoal Antônio Augusto Rocha - Livro Lembranças de Venda Nova - Ana Maria Silva
Estrada Velha de Venda Nova - 1946 - Acervo pessoal Antônio Augusto Rocha - Livro Lembranças de Venda Nova - Ana Maria Silva
Advertisement

Por William Araújo

Não é surpresa que Venda Nova é contemporânea do Curral D`el Rey (1717), tem mais de 300 anos e foi uma pequena Ermida (local religioso distante de urbanizações) a partir de 1823. Depois, emancipou-se para um distrito – entre os séculos XVIII e XIX – e pertenceu à comarca da Vila de Sabará (1857-1864) e comarca de Santa Luzia (1864-1924).

Em 1925, o local já era um arraial e uniu-se à comarca de Belo Horizonte, nova capital de Minas Gerais. Mas, de acordo com ex-tabelião Hugo Fróes, no livro “O distrito de Venda Nova e um pouco da sua história”, de Geraldo Lisboa, por questões políticas com o governador Benedito Valadares, foi desligada e dada novamente, em 1939, a Santa Luzia.

As pessoas tiveram tantas dificuldades burocráticas, que o pai de Hugo, o senhor Antônio Rodrigues Fróes, e os moradores prof. Antônio Gomes Horta, Dr. Álvaro Celso da Trindade e José Augusto Freitas organizaram uma reunião com o governador Milton Soares Campos em 1948.

No episódio, souberam dos problemas enfrentados pelos vendanovenses. Diante disso, o governador ficou sensibilizado e decretou que a região voltasse a fazer parte de Belo Horizonte em dezembro do mesmo ano.

Havia uma estrada que ligava o distrito à capital, chamada Estrada Velha. No livro “Lembranças de Venda Nova”, da historiadora e autora Ana Maria da Silva, há a imagem de um mapa feito em tecido e datado entre 1890 e 1894.

Nele, já existia a famosa Estrada Velha, que servia de rota aos tropeiros e outros viajantes.

Mapa do Distrito de Venda Nova - 1890-1894 - Fonte - Livro Lembranças de Venda Nova - Acervo da Secretaria Municiapal de Atividades Urbanas
Mapa do Distrito de Venda Nova – 1890-1894 – Fonte – Livro Lembranças de Venda Nova – Acervo da Secretaria Municipal de Atividades Urbanas

Conforme o livro de Geraldo Lisboa, em citação,

“…Nestes caminhos de dia só se via boi, cavalo, algumas casas e a estrada era estreita. Nestes caminhos havia cobras, lagartos, tatus, jaguatiricas, lobo guará e outros animais que cortavam os caminhos. Se fosse de noite, somente a luz da lua poderia ajudar, pois, as viagens a cavalo gastariam mais de uma hora e a pé, mais de duas”.

Veja abaixo o trajeto estimado da Estrada Velha de Venda Nova. O registro foi delineado com base no cruzamento de informações contidas em mapas antigos, livros e pesquisa documental.

O distrito de Venda Nova se estendia até a junção do Córrego Pampulha e Ribeirão do Onça, onde hoje, aproximadamente, está o bairro Primeiro de Maio e o Minas Shopping.

Estimativa do tamanho do Distrito de Venda Nova - 1890-1894 - de acordo com o mapa do Acervo da Secretaria Municipal de Atividades Urbanas - Mapa Google
Estimativa do tamanho do Distrito de Venda Nova – 1890-1894 – de acordo com o mapa do Acervo da Secretaria Municipal de Atividades Urbanas – Mapa Google

A estrada era longa e difícil para os moradores que desejavam ir ao Curral D’el Rey.

Com a anexação definitiva de Venda Nova a Belo Horizonte, a urbanização avançou. Pouco antes, na gestão do prefeito Juscelino Kubitschek (1940-1945), em que foram planejadas novas vias de ligação do distrito à capital, a Avenida Pampulha deu lugar à Avenida Antônio Carlos.

A partir do novo acesso, novos bairros surgiram e demandaram outros caminhos. Em 1970, a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, pressionada pelos moradores de Venda Nova, duplicou a antiga Avenida Nossa Senhora da Piedade e a transformou no que conhecemos hoje como Avenida Dom Pedro I.

Fonte do vídeo: Acervo audiovisual da Fundação Municipal de Cultura – Canal MIS BH

A nova rota não seguiu em nada o trajeto da Estrada Velha, pois a intenção era facilitar o acesso dos moradores com vias mais planas, largas e com menos curvas. Entretanto, já na década de 1970, a Avenida Dom Pedro I apresentava problemas de tráfego pesado.

Avenida Dom Pedro I - década de 1970 - Acervo desconhecido - retirada do grupo Fotos Antigas de Belo Horizonte - Postagem de Otávio Hugo Frota
Avenida Dom Pedro I – década de 1970 – Acervo desconhecido – retirada do grupo Fotos Antigas de Belo Horizonte – Postagem de Otávio Hugo Frota

A Estrada Velha ligava a Rua Formiga à antiga Rua Direita, atual Padre Pedro Pinto. A via foi melhorada, mudou de nome em vários pontos, foi cortada pelo aeroporto da Pampulha, mas ainda deixa saudade no imaginário dos moradores.

No livro de Geraldo Lisboa, a via é mencionada próxima ao encontro entre os córregos do Nado e Vilarinho. Ali, segundo o autor e relatos dos entrevistados que aparecem no texto, existia a famosa venda que deu nome à regional Venda Nova.

Contudo, caros leitores, essa é uma história a ser contada em breve, em outras páginas.

Agradecimentos

Ana Maria Silva (historiadora), Geraldo Lisboa (autor), sra. Lúcia César (pesquisadora), Flávio Silva (comentários), Lucas Petes (comentários), Alessandro Borsagli (blog Curral Dèl Rey), Otávio Hugo Frota (publicação), Janete Ribeiro (Regional Venda Nova).

Curta e compartilhe nas redes sociais
1114Shares