Treinamento do Cruzeiro feminino na PUC, em Belo Horizonte. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro.
Treinamento do Cruzeiro feminino na PUC, em Belo Horizonte. Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro.
Advertisement

O time feminino do Cruzeiro tem uma verdadeira decisão neste sábado (19). No Sesc Venda Nova (Rua Maria Borboleta, s/n – Bairro Novo Letícia), a equipe enfrenta o Ceará com objetivo de garantir a vaga na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. A partida, válida pelas quartas de final da Série A-2, está marcada para as 16h.

O Cruzeiro tem uma vantagem de 2 a 0 no placar, conquistada na primeira partida, disputada em Fortaleza. Portanto, o time celeste pode até perder por um gol de diferença que ainda se classifica.

Para a lateral-direita Janaína*, a equipe precisa entrar atenta durante toda partida para evitar surpresas. “Temos que concentrar e trabalhar para fazer um grande jogo e sair com o nosso objetivo. Vamos jogar em casa e conto com nosso torcedor para comparecer e nos apoiar”, disse a jogadora.

No primeiro confronto, os gols do Cruzeiro foram marcados pela lateral-esquerda Eskerdinha e pela meio-campista Duda. O elenco comandando pelo técnico Hoffmann Túlio, que passou pelo América, tem sete vitórias seguidas na competição.

Antes de passar pelo Ceará, o Cruzeiro bateu o Pinheirense (PA) nas oitavas de final por 4 a 1, no primeiro jogo, e 3 a 0 no segundo.


Você é de Venda Nova?

Morador(a) de Venda Nova, fique por dentro de notícias exclusivas e específicas da regional. Clique no botão ao lado/abaixo e siga o Jornal Norte Livre nas redes sociais.


Caso passe de fase, a Raposa enfrenta o vencedor do confronto entre Grêmio e América. Na primeira partida, o tricolor gaúcho bateu o Coelhão por 2 a 1, portanto a decisão, agora, será em Porto Alegre.

O Campeonato Brasileiro Feminino da Série A-2 garante quatro vagas na primeira divisão. As outras duas equipes promovidas serão definidas a partir dos confrontos entre Palmeiras x Chapecoense (2 a 0 para os paulistas na ida) e Taubaté x São Paulo (1 a 0 para a equipe do interior no primeiro duelo.

Atlético

Outro gigante do futebol mineiro, o Atlético também disputou a segunda divisão do nacional feminino. Contudo, as alvinegras não conseguiram passar de fase e terminaram na quinta posição do grupo 4.


Leia também


O time conquistou apenas um ponto em cinco jogos disputados.

Apoio “forçado

Tanto o Atlético quanto o Cruzeiro só criaram times femininos neste ano. Contudo, o que parece opção por investir na modalidade para mulheres, na realidade, não passa de uma exigência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Conforme previsto no regulamento da Série A neste ano, todos os 20 clubes que disputam a elite do futebol masculino também precisam investir no feminino. O mesmo vale para quem está na Copa Libertadores, devido a uma norma parecida da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

Por isso, os grandes de Minas Gerais se viram obrigados a criar equipes formadas por mulheres. O Galo fez uma parceria Prointer Futebol Clube e incorporou o elenco do time até então situado na Barragem Santa Lúcia, na Região Centro-Sul de BH.

Já o Cruzeiro criou seu próprio elenco, que teve como base jogadoras e comissão técnica com passagens pelo América, atual tricampeão do campeonato estadual.

*Em entrevista concedida ao site do Cruzeiro.

Curta e compartilhe nas redes sociais
34Shares