Fonte: divulgação/SES
Advertisement

Por Gabriel Ronan

O carnaval de BH deve reunir cerca de 5 milhões de pessoas neste ano. O número de foliões cada vez mais crescente fez com que o governo do estado e a prefeitura de Belo Horizonte (PBH) somassem esforços para conscientizar a população sobre as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Com isso, os executivos apostam em campanhas publicitárias, parcerias e reforço do estoque de preservativos para coibir novos casos de doenças como a AIDS.


Leia também


Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), já houve diagnóstico de 233 casos de HIV/AIDS neste ano em Minas. Os números são puxados, principalmente, pela população entre 20 e 34 anos, público predominante durante a tradicional festa de rua. Com isso, a SES aposta na campanha “Então, Previna-se”, inspirada no Bloco “Então, Brilha”.

A iniciativa usa a tecnologia e as redes sociais para abrir o olho do público. Para isso, a pasta firmou parcerias com ONGs, coletivos LGBTs e blocos de carnaval para que essas organizações espalhem uma série de peças gráficas com informações pertinentes sobre o assunto. O conteúdo pode ser compartilhado no WhatsApp, por exemplo.

Além disso, no site www.saude.mg.gov.br/sexoseguro, além do conteúdo informativo sobre as ISTs, ficará disponível um kit digital com modelos de posts e artes para WhatsApp para qualquer pessoa interessada.

Na Prefeitura de Belo Horizonte, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) optou por aumentar o número de preservativos nas unidades de saúde. De acordo com o órgão, a capital recebeu cerca de 2 milhões de camisinhas, distribuídas em centros de saúde (1,4 milhão) e organizações ligadas à festa, como ONGs e blocos de carnaval (600 mil).

Blocos que costumam receber um grande número de pessoas, como Corte Devassa, Garotas Solteiras, Alô Abacaxi e Chama o Síndico, estão entre os que a secretaria vai doar preservativos. O folião também pode procurar qualquer um dos 152 centros de saúde da capital (confira aqui a lista das unidades em Venda Nova).

Outra medida acontece no Centro de Testagem e Aconselhamento UAI (Rua Saturnino de Brito, 17, 3º andar). Até esta sexta-feira (1°), haverá uma intensificação da testagem rápida para HIV, sífilis, hepatites B e C, distribuição de folders de prevenção, além da fornecimento de preservativos e gel lubrificante.

Em 2018, Belo Horizonte computou 1.803 casos de HIV/AIDS. Em Minas, foram 4.788, ou seja, a capital mineira concentrou 37,6% dos diagnósticos do estado.

Ainda assim, os números na capital estão em queda na comparação com 2017. Naquele ano, a SMSA registrou 1.247, uma queda de 30,8%.

Coquetel

A preocupação da prefeitura com as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) se volta também ao período após o carnaval. Por isso, entre 6 e 10 de março, a Secretaria Municipal de Saúde vai intensificar a oferta da Profilaxia Pós Exposição Sexual (PEP).

Trata-se de um coquetel indicado para pessoas que tiveram contato sexual com portadores considerados de risco para a doença, conforme fluxos pré-estabelecidos de atendimento. Para ser atendido e receber o medicamento, o paciente deve relatar ao médico o que ocorreu. Imediatamente, já recebe a primeira dose do medicamento, além da quantidade necessária para prosseguir o tratamento durante os outros 27 dias.

O serviço estará disponível nas UPAs, no Centro de Treinamento e Referência em Doenças Infecto-Parasitárias Orestes Diniz (Alameda Vereador Álvaro Celso, 241 – Santa Efigênia), no Centro de Testagem e Aconselhamento/ Serviço de Assistência Especializada Sagrada Família (Rua Joaquim Felício, 141 – Sagrada Família) e na Unidade de Referência Secundária Centro-Sul (Rua Paraíba, 890 – Funcionários).

Com isso, em Venda Nova, haverá fornecimento do PEP apenas na UPA, situada na Rua Padre Pedro Pinto, 175, nas proximidades do cruzamento com a Avenida Dom Pedro I.

Curta e compartilhe nas redes sociais
4Shares