Venda Nova foi a regional com o maior número de podas e supressões em 2018. Foto: arquivo/PBH.
Venda Nova foi a regional com o maior número de podas e supressões em 2018. Foto: arquivo/PBH.
Advertisement

Ampliação do investimento e aumento de quase 300% nos serviços. Pelo menos em números, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura (Smobi), dedicou atenção aos cortes e podas de árvores no ano passado. Segundo dados do Executivo municipal, foram 47.870 podas e 10.122 supressões em 2018, contra 16.445 podas e 3.041 supressões feitas no ano anterior – uma diferença de 38.506 serviços. Quanto ao dinheiro deslocado, os valores saltaram de aproximadamente R$ 4 milhões para R$ 11 milhões na comparação entre os períodos.

O sinal de alerta é ligado principalmente durante os período de chuvas, quando os fortes ventos sempre derrubam espécimes na capital. Só em dezembro, a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (Supdec) atendeu a 63 chamados de risco ou queda de árvores na capital mineira.

Em Venda Nova, a Defesa Civil registrou oito árvores caídas só em dezembro. Desde outubro de 2017, são quase 30 espécimes derrubadas na regional. Diante de tais números, a Secretaria de Obras destinou atenção especial a região: foram 11.401 podas e 1.074 cortes em 2018 – os maiores números de toda a cidade (veja tabela).

RegionalPodas Supressões
Venda Nova11.4011.074
Barreiro 4.596 910
Centro-Sul3.393893
Norte6.860601
Noroeste5.9751.326
Nordeste4.0161.609
Leste4.3581.464
Oeste3.0001.504
Pampulha4.271741
Total47.87010.122

Apesar da dedicação ampliada, tragédias ainda acontecem. Em 7 de dezembro, o motorista Ranur Pierre da Silva Carneiro, de 28 anos, perdeu a vida ao ser atingido por uma árvore de grande porte na Avenida Nossa Senhora do Carmo, sentido BH Shopping. Cinco crianças estavam na van, mas nenhuma delas se feriu graças ao socorro prestado por civis.

Corpo de Bombeiros trabalhou durante toda a noite do dia 7 de dezembro para retirar corpo de motorista de van. Foto: divulgação/CBMMG.

Em resposta à reportagem, a PBH informou que a árvore da Nossa Senhora do Carmo “apresentava condições normais e era saudável, mas não suportou a força do vento de quase 80 km/h”.

Regras e replantio

Se por um lado os cortes de espécimes doentes trazem maior segurança à população, a preocupação ambiental também está presente no debate. Os critérios para supressão ou não de uma árvore seguem a Deliberação Normativa 92/2018, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA).

De acordo com o documento, o servidor responsável pela avaliação deve considerar o vigor da árvore, sinais de senilidade ou morte, soterramentos e descalçamentos. A presença de pragas ou imperfeições também precisa ser levada em consideração, além de outros itens.

A SMMA também fica responsável pelo replantio das árvores. Contudo, o projeto ainda está em fase de elaboração, segundo a pasta.

Solicitação do serviço

População pode solicitar poda ou corte pela internet, pelo celular, pessoalmente ou por telefone. Foto: Rodrigo Clemente/PBH.

Com intuito de realizar ainda mais podas e supressões de árvores ameaçadas, a prefeitura disponibiliza canais para que o cidadão solicite o serviço.

São eles: o Sacweb (clique aqui para acessar), o aplicativo PBH APP, o BH Resolve ou o telefone 156. O cidadão recebe um número de protocolo para acompanhamento da demanda, enquanto a Prefeitura tem um prazo de 15 dias para fazer o laudo técnico e de 90 dias para a realização do serviço recomendado. 

Curta e compartilhe nas redes sociais
3Shares